quinta-feira, 30 de maio de 2019

Um jovem de 20 anos chamado Bacharelado em Sistemas de Informação

Apresentação do Coral da USP São Carlos encerrou as comemorações na tarde de sábado

Já são 460 alunos formados, 17 turmas e uma mudança de nome. Mas são incontáveis as histórias dos alunos e professores que ajudaram a construir a trajetória do jovem curso de Bacharelado em Sistemas de Informação (BSI), oferecido pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. 

Na tarde do último sábado, dia 25 de maio, um evento marcou a comemoração dos 20 anos de criação do curso que, até 2013, chamava-se Bacharelado em Informática (BachInfo). A iniciativa marcou o reencontro de diversos ex-alunos, muitos dos quais trouxeram suas famílias para conhecer o ambiente que lhes acolheu durante a graduação. 

No auditório Fernão Stella de Rodrigues Germano, a voz das crianças se misturava à voz do professor aposentado Paulo Masiero, que relatou todo o processo que levou ao nascimento do curso, em 1999. Foi nesse tempo que a professora Ellen Francine começou a ministrar suas primeiras aulas no ICMC. Não é à toa que a linha do tempo de sua jornada acadêmica se confunde com a linha do tempo do BachInfo e do BSI. 

Masiero foi um dos homenageados no evento, à esquerda está a professora Ellen e, à direita, a professora Sarita Bruschi

"Todos se deram bem na carreira e saíram daqui bem formados", disse o ex-aluno Fabiano Cutigi Ferrari, que se formou em 2001 e, depois de concluir o doutorado no ICMC em 2010, tornou-se, no ano seguinte, professor no departamento de computação da Universidade Federal de São Carlos.

"Celebrar os 20 anos do BSI significa comemorar o ICMC que nós temos hoje, que é completamente diferente do que existia antes desse curso ser criado", destacou a professora Solange Rezende. Além de diversos depoimentos, o evento também foi marcado por homenagens a ex-alunos, professores e funcionários. No encerramento da cerimônia, o público se emocionou com a apresentação do Coral da USP São Carlos, que soltou a voz em meio às árvores e orquídeas do jardim interno do Instituto.


Texto e fotos: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação do ICMC


Mais informações
Saiba mais sobre o BSI: icmc.usp.br/e/5066d
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Linux 4 Dummies: terceiro curso da série acontece no ICMC

Oficina acontecerá dia 7 de junho e as inscrições já estão abertas

O pinguim Tux já está voando no Linux: inscreva-se e não perca a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos

Você já foi apresentado ao Linux e aprendeu conceitos sobre o sistema operacional do simpático pinguim Tux, mas dá aquela travada quando ouve as palavras environment ou dualboot? Então, inscreva-se na oficina Linux 4 Dummies 3: hierarquia de diretórios e conceitos Unix, oferecido pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. A atividade acontecerá na sexta-feira, 7 de junho, das 14 às 18 horas. 

Esta é a terceira edição de uma série de cursos sobre Linux voltados a leigos. Nesta edição, o participante terá contato direto com comandos, estruturas de distribuição e instalação. As inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser realizadas até 5 de junho ou enquanto houver vagas via este formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/e7fa0.

A oficina será ministrada por Ricardo Alves de Araújo, aluno do ICMC, e é promovida pelo projeto Principia - Robôs na Escola. O grupo desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O objetivo é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: Giphy

Mais informações
Página do Principia no Facebook: www.facebook.com/RobosNaEscola
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/c930f
Formulário de inscrições: icmc.usp.br/e/e7fa0
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146

Aprenda Scratch com oficina na USP São Carlos

Aulas acontecerão na quinta-feira, 6 de junho, das 14 às 18 horas, no ICMC

Crie, conte e aprenda a programar utilizando blocos e animações com o Scratch

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, realizará na quinta-feira, 6 de junho, uma atividade voltada ao ensino do Scratch. Você já ouviu falar do Scratch? É uma linguagem de programação criada pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) em 2007. Ela possibilita o desenvolvimento de programas, jogos e histórias interativas por meio de blocos. A oficina Scratch para iniciantes apresentará a plataforma, seus mecanismos, operações, variáveis, controles e animações, com o objetivo de capacitar o participante a fazer diversos projetos.

Achou interessante? Então, inscreva-se gratuitamente até 5 de junho, ou enquanto houver vagas, via este formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/24b5a

A oficina será ministrada pela aluna Ravila Vilela Pieri, que cursa Ciências de Computação no ICMC. A iniciativa é promovida pelo projeto Principia – Robôs na Escola, que desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O propósito é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.


“Desde sempre, a motivação do Principia é compartilhar tudo o que é produzido com o público. Queremos capacitar os jovens de escola públicas, nossos voluntários e todos que tenham alguma curiosidade sobre os temas com os quais trabalhamos”, explica o aluno Guilherme Bileki, do ICMC. Ele é um dos gerentes do projeto, que é coordenado pelo professor Eduardo Simões. 

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: (captura) scratch.mit.edu


Mais informações

Página do Principia no Facebook: https://www.facebook.com/RobosNaEscola
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/9640d 
Formulário de inscrições: icmc.usp.br/e/24b5a

terça-feira, 28 de maio de 2019

ICMC oferece curso gratuito sobre programação paralela

Atividade acontecerá às quartas e sextas-feiras, de 5 a 14 de junho 

Atenção: as aulas não são recomendadas aos alunos que participaram de edições anteriores do curso

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, está com inscrições abertas para o curso Programação paralela em máquinas multicore: um curso prático com OpenMP. As aulas são coordenadas pelo professor Paulo Sérgio de Souza, do ICMC, e ministradas pelo especialista Guilherme Martins, que é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Computação e Matemática Computacional do Instituto.

Entre os objetivos do curso está apresentar o modelo de programação paralela em OpenMP com foco totalmente prático, e estimular os participantes a pensarem em paralelo no desenvolvimento de algoritmos. A iniciativa é voltada a alunos que estão cursando o primeiro ano de graduação em cursos da área de computação e para todos os interessados da comunidade que tenham conhecimentos básicos sobre programação na linguagem C.

“É cada vez maior a necessidade por profissionais que consigam desenvolver soluções de software para os atuais processadores multicore, explorando corretamente os benefícios da programação paralela”, explica o professor Paulo Sérgio. “O curso terá um foco totalmente prático: serão desenvolvidas diferentes aplicações de modo a estimular o "pensar paralelo" e, assim, possibilitar o uso futuro desse conhecimento em soluções computacionais durante e depois da graduação”, completa. 

As aulas acontecerão às quartas e sextas-feiras, ao longo de duas semanas: dias 5 e 12 de junho, das 9 às 12 horas, e dias 7 e 14 de junho, das 9 às 12 horas, nos laboratórios 6-305 e 6-306 do ICMC, na área I do campus da USP, em São Carlos. 

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até 3 de junho pelo link: icmc.usp.br/e/890f1. Para conferir todos os tópicos abordados no curso, acesse o programa: icmc.usp.br/e/e92aa

Texto - Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: OpenMP



Mais informações 

Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146 
E-mail: ccex@icmc.usp.br

Professores da USP receberão homenagem de alunos da Engenharia de Computação

Iniciativa é da Secretaria Acadêmica de Engenharia de Computação (SAEComp) 

A premiação já é tradicional no ICMC e este semestre acontecerá no dia 4 de junho

Cinco professores da USP, em São Carlos, serão homenageados pelos alunos do curso de Engenharia de Computação por sua didática, profissionalismo, transparência e carisma ao longo do segundo semestre de 2018. A homenagem é uma iniciativa da Secretaria Acadêmica de Engenharia de Computação (SAEComp) e será realizada dia 4 de junho, terça-feira, às 20 horas, no auditório do prédio da Engenharia de Computação, na área 2 do campus da USP. 

Quatro professores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) serão reconhecidos: Sergio Monari, Fernando Osório, Cristina Ciferri e Daniel Henrique Silva. Completando a lista de homenageados está o docente Gregório Couto Faria, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC).

A escolha dos homenageados é realizada por meio de um formulário online enviado aos alunos pela Secretaria ao final de cada semestre. Só estão aptos os professores do semestre anterior ao atual. Entre os os critérios de escolha estão o empenho junto à turma (que integra fatores como o preparo das aulas e a preocupação com o aprendizado), o ensino (que contempla tanto o domínio da disciplina quanto a qualidade dos trabalhos pedidos) e características como carisma e humildade.

Como símbolo da homenagem, os alunos entregarão a cada professor um certificado de menção honrosa com votos de agradecimento. O curso de Engenharia de Computação é oferecido em parceria pelo ICMC e pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC).


Texto: Marília Calábria- Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

Mais informações
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

Cálculo I em 4 horas: reveja conceitos em curso no ICMC

Atividade acontecerá sexta-feira, 7 de junho, e terá uso de software que relaciona conceitos a aplicações 

Reveja conceitos da disciplina Cálculo I de forma interativa com o software GeoGebra

Estão abertas as inscrições para o curso 4 horas de Cálculo I: uma revisão com o software GeoGebra, que será realizado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, na sexta-feira, 7 de junho, das 14 às 18 horas. A atividade acontecerá nas salas 6-303 e 6-304 do Instituto.

Direcionado aos alunos de graduação da área de exatas e demais interessados, o curso é gratuito. As inscrições vão até 5 de junho, ou enquanto houver vagas, via formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/2bad7. Há 30 vagas disponíveis.

Por ser um software de código aberto na área de matemática, voltado a todos os níveis de ensino, o GeoGebra tem interface intuitiva e oferece a possibilidade de aprender cálculo, álgebra e geometria de forma interconectada, simplificando e diversificando o ensino e a aprendizagem em matemática, ciência, engenharia e tecnologia. 


Coordenador pela professora Maria da Graça Pimentel e pelo professor José Alberto Cuminato, o curso será ministrado pela mestranda Ana Maria Lemes de Lima, do ICMC, que apresentará uma introdução à história do cálculo, além de revisar conceitos como função, limites, continuidade e abordar as equações derivada e integral.

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: GeoGebra (montagem)


Mais informações
Programa do curso: icmc.usp.br/e/2d3b7
Inscrições: icmc.usp.br/e/2bad7
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146
E-mail: ccex@icmc.usp.br

segunda-feira, 27 de maio de 2019

ICMC promove evento e competição sobre inteligência artificial e ciência de dados

Iniciativas são gratuitas e inscrições podem ser realizadas até 8 de junho



O local onde se praticam as artes marciais japonesas, conhecido como Dojo, serviu de inspiração para um evento e uma competição que terão como tema principal a inteligência artificial e a ciência de dados. Chamado DojoML, o evento será realizado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, na quarta-feira, 12 de junho, das 14 às 19 horas, no auditório Fernão Stella de Rodrigues Germano. 

Realizado em parceira pelo grupo de extensão DATA, do ICMC, e pelo The AI Academy, grupo de pesquisa em IA baseado em São Paulo, o evento marcará também o fim de uma competição on-line de aprendizado de máquina, a Machine Learning DojoML, que já está com inscrições abertas. Para participar do evento e da competição, basta se inscrever gratuitamente no site das iniciativas: https://the-ai-academy.wixsite.com/dojoml

Um dos focos do evento é a apresentação de técnicas de auto-aprendizado de máquina ou aprendizado de máquina automatizado (em inglês, o termo empregado é automated machine learning, ou simplesmente AutoML). No dia 12, haverá demonstrações dessas técnicas a partir do uso da plataforma H2O, atualmente uma das principais plataformas de aprendizado de máquina e inteligência artificial de código aberto do mundo, criada por uma startup situada no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Durante o evento, também serão premiados os vencedores da competição on-line de aprendizado de máquina. Realizada por meio da plataforma Kaggle, uma das mais utilizadas para competições de ciência de dados, a Machine Learning DojoML possibilitará aos participantes encontrar soluções para um problema real de uma empresa no segmento de frotas e internet das coisas. As equipes terão oportunidade de apresentar as soluções desenvolvidas no evento do dia 12.

Abertas a todos os interessados, as iniciativas são voltadas especialmente para especialistas e entusiastas da área de ciência de dados, tais como alunos de graduação e pós-graduação das áreas de computação, sistemas de informação e estatística que queiram adquirir novas habilidades na área de inteligência artificial e ciência de dados. 

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: https://www.kaggle.com


Mais informações
Site do evento e da competição: https://the-ai-academy.wixsite.com/dojoml
Confirme presença no Facebook: https://www.facebook.com/events/456017241841501/

Leia outras reportagens sobre ciência de dados: 

Alunos da USP vencem competição com jogo que ensina a programar

Formado por alunos do ICMC, trio desenvolvedor do Projeto Robosquadrão foi premiado com viagem de imersão ao Vale do Silício, nos Estados Unidos 


Óliver, Gabriel e Eleazar (da esquerda para a direita) desenvolveram o projeto Robosquadrão, um dos vencedores da Campus Mobile

projeto Robosquadrão é o vencedor da categoria educação na 7ª edição da Campus Mobile, competição de ideias e soluções para plataformas mobile. Ao todo, 12 propostas foram selecionadas para a final da competição, nas categorias educação, diversidade, smart cities e smart farms.

Desenvolvido pelos alunos Eleazar Braga, Gabriel Simmel e Óliver Becker, que fazem parte do grupo Fellowship of Game (FoG), do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP em São Carlos, o jogo tem como objetivo promover o contato dos jovens com a programação de um jeito mais atraente e inclusivo. Por isso, o público-alvo do projeto são jovens do ensino médio, que querem aprender os primeiros conceitos sobre programação.

Na segunda-feira, 6 de maio, o grupo foi chamado para participar de uma videoconferência. Concentrados, eles acreditaram estar diante de mais uma sessão de feedback sobre melhorias ou estratégias para o projeto que desenvolveram para a competição. Durante a live, realizada via Facebook, estavam presentes o gerente de projetos do Instituto NET Claro Embratel, Flávio Rodrigues, e o engenheiro Alexandre Martinazzo, do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) da USP, os dois representavam a Campus Mobile. 

"A gente anotou algumas coisas para melhoria no aplicativo de vocês. A principal delas é que vão precisar de um visto para entrar nos Estados Unidos", disse Flávio para o trio. “Fomos surpreendidos, pensávamos que tivesse ocorrido algum problema porque, inesperadamente, eles nos chamaram para conversar. Quando o Flávio falou do visto, ficamos por um momento em dúvida sobre o que estava acontecendo. Só depois veio a extrema felicidade”, conta Eleazar.

Sobre a Campus Mobile - Voltada para projetos de inovação feitos por equipes de alunos de graduação e de pós-graduação, a Campus Mobile é promovida pelo Instituto NET Claro Embratel em parceria com o LSI-TEC. A sétima edição da iniciativa começou em novembro de 2018. Ao longo das etapas, os participantes receberam monitoria de especialistas e vivenciaram uma experiência de imersão no início de fevereiro, durante uma semana, em São Paulo – com direito a maratona de programação, palestras e visitas a empresas parceiras.

O cumprimento de todas as metas da fase final garantiu aos participantes das 
categorias um prêmio no valor de R$ 6 mil. Como melhor da categoria educação, o trio também ganhou uma viagem para São Francisco e para o Vale do Silício, nos Estados Unidos, onde conhecerão algumas empresas da região e realizarão atividades de imersão em tecnologia.

“Nossa vitória nos motivou a continuar com o desenvolvimento do projeto, para adicionar mais funcionalidades, indo ao encontro do que a comunidade que construímos espera. Além disso, vamos nos inscrever em premiações e editais para jogos, como o BIG Festival, SBGames, USP Game Link entre outros”, projeta Oliver.

Durante o desenvolvimento do Robosquadrão, o trio contou com a colaboração de membros do FoG, do Programa de Educação Tutorial (PET-Computação) e da Seção de Apoio Institucional do ICMC e também dos professores Cláudio Motta Toledo, Fernando Osório, Kalinka Castelo Branco, Moacir Ponti e Francisco José Monaco. 

“Esperamos que o nosso jogo alcance jovens e mostre como a programação é divertida e gratificante”, finaliza Gabriel.


Texto: Marília Calábria - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da foto: Divulgação Campus Mobile

Mais informações
Experimente jogar Robosquadrão: https://galbrato.itch.io/robosquadrao
Página da competição no Facebook: www.facebook.com/CampusMobile

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Estude na USP em São Carlos: inscreva-se na pós-graduação em Matemática

Programa reconhecido em todo o país está com inscrições abertas para mestrado e doutorado

O Programa tem conceito máximo (7) na avaliação da Capes: inscrições estão abertas até 6 de junho

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, está com inscrições abertas para o ingresso no Programa de Pós-Graduação em Matemática (PPG-Mat). O programa é um dos melhores e mais tradicionais da área no Brasil, reconhecido com nota máxima (7) nas últimas avaliações trienais realizada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). 

Segundo o professor Daniel Smania, coordenador do PPG-Mat, o ICMC é um ambiente estimulante para discutir e aprender matemática: “São Carlos é prática e hospitaleira, com mais de vinte mil jovens estudando em universidades públicas, vindos de todo o país. É uma experiência única”. Além disso, a cidade oferece algumas facilidades como custo de vida menor frente às grandes cidades e regiões metropolitanas, um campus pequeno e convidativo e a possibilidade de morar próximo à Universidade.

Entre os critérios de avaliação para o ingresso no mestrado, além da formação acadêmica e currículo, está a maior nota do candidato na Prova Extramuros ou no Programa de Verão do ICMC. Os participantes podem escolher linhas de pesquisa em todas as grandes áreas da matemática: álgebra; análise; geometria e topologia.

Para o mestrado (icmc.usp.br/e/9de2d) e o doutorado (icmc.usp.br/e/aa698), as inscrições podem ser realizadas até dia 6 de junho no sistema da pós-graduação do Instituto: https://vagas.icmc.usp.br. O Programa oferece 20 vagas para quem deseja ingressar no mestrado e 20 para aqueles que optarem pelo doutorado. Para obter mais detalhes sobre o processo de inscrição e os critérios de seleção, confira os editais disponíveis na página do programa: icmc.usp.br/e/b7da5.

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Marcos Santos / USP Imagens


Mais informações
Edital do mestrado: icmc.usp.br/e/9de2
Edital do doutorado: icmc.usp.br/e/aa698
Serviço de Pós-Graduação do ICMC: (16) 3373-8882
E-mail: ppgmat@icmc.usp.br

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Oficina no ICMC ensina a criar, hospedar e disponibilizar as melhores versões de seus projetos

Atividade mostrará como funciona o sistema Git (bash e hub) e será realizada domingo, 2 de junho
Linhas de comando, terminal local e remoto do sistema estão entre os assuntos que serão ensinados aos participantes 

Estão abertas as inscrições para o curso Git: Versionando meus Trabalhos de ICC que será realizado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, no domingo, 2 de junho, das 14 às 18 horas. Direcionado aos alunos de Ciências da Computação e áreas correlatas, a atividade é gratuita e está com inscrições abertas até 29 de maio, ou enquanto houver vagas, via formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/c29c8Há 60 vagas disponíveis. 

O Git é um sistema que viabiliza o controle das versões feitas de um arquivo. Por meio dele, é possível desenvolver projetos codificados, nos quais diversas pessoas podem contribuir simultaneamente na criação ou edição, sem a possibilidade das alterações realizadas por qualquer colaborador ser sobrescrita. Serão ensinados conhecimentos básicos sobre o Git local (bash) como o terminal, suas funções e linhas de comando além de uma introdução ao Git remoto (github), plataforma de contribuição e acompanhamento simultâneo de bibliotecas, códigos, frames e projetos. 

A atividade é uma iniciativa do Fellowship of Game (FoG), grupo de alunos vinculado ao ICMC focado na criação de jogos eletrônicos divertidos, de código aberto e multiplataforma. O FoG visa à aplicação direta dos conhecimentos adquiridos na graduação e da sua integração com as mais diversas tecnologias disponíveis no mercado.


Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: git-scm.com

Mais informações
Programa do curso: icmc.usp.br/e/576c0
Link para inscrições: icmc.usp.br/e/c29c8
Página do FoG: http://fog.icmc.usp.br/
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146
E-mail: ccex@icmc.usp.br

Saiba mais sobre tecnologia social e sua importância na USP São Carlos

Participe de oficina no ICMC e saiba como seu projeto pode mudar vidas

A união de tecnologia e práticas sociais vai além de tendência, oferece oportunidade e melhoria nas condições de vida


Tecnologia social é o conjunto de experiências tecnológicas feitas em interação junto à comunidade, com o objetivo de resolver problemas, estimular desenvolvimento e promover inclusão. Este é o tema da oficina Entre o encontro e as tecnologias: tecnologia social como estratégia de inovação e criação de práticas emancipatórias, que será realizada na sexta-feira, 31 de maio, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, das 14 às 18 horas.

O encontro será ministrado pela terapeuta ocupacional Aline Zacchi, formada pela UFSCar. Serão ensinados princípios e critérios de práticas emancipatórias, além de realizadas discussões sobre a possibilidade metodológica de produção e criação de instrumentos e ferramentas que proporcionem experiências emancipatórias e de transformação social.

Gratuita e aberta à comunidade, a oficina tem 30 vagas disponíveis e as inscrições devem ser realizadas até quarta-feira, 29 de maio, ou enquanto houver vagas por meio deste link: icmc.usp.br/e/fc2bc 

A atividade é coordenada pelo professor Eduardo Simões, do ICMC, coordenador do projeto Principia – Robôs na Escola, que desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O objetivo é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da Imagem:Principia – Robôs na Escola (arte)|

Mais informações
Programa do curso: icmc.usp.br/e/0a4cb
Link para inscrições: icmc.usp.br/e/fc2bc

Página do Principia no Facebook: https://www.facebook.com/RobosNaEscola

Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146

quarta-feira, 22 de maio de 2019

ICMC é uma das sedes da Olimpíada Brasileira de Informática

Prova da primeira fase da modalidade programação, voltada ao nível sênior da competição, acontecerá dia 30 de maio

A OBI tem três fases: Local, Estadual e Nacional; os estudantes que chegarem até a Fase Nacional concorrerão a medalhas.

Estão abertas as inscrições para a 21ª Olimpíada Brasileira de Informática. O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, será um dos locais que aplicará a prova da primeira fase da modalidade programação – nível sênior da competição, que acontece no dia 30 de maio.

Podem participar da competição estudantes que iniciaram o primeiro curso de graduação em Ciências da Computação no segundo semestre do ano anterior ou no primeiro semestre deste ano. As inscrições vão até o dia 29 de maio, via formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/ff757. Estão disponíveis 60 vagas. 

A prova será aplicada pelo Grupo de Estudos para a Maratona de Programação (GEMA) nas salas 6-303 e 6-304 do Instituto. Todos os participantes receberão certificados de participação. Os mais bem colocados serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze e poderão ser convidados a participar de uma semana de cursos no Instituto de Computação da UNICAMP. 

A Olimpíada é uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Computação, organizada pelo Instituto de Computação da UNICAMP com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e visa estimular o interesse pela computação e ciências em geral, promovendo o incentivo às carreiras nas áreas de ciência e tecnologia. 

A competição também possibilita a participação de estudantes matriculados nos ensinos fundamental e médio. Para mais detalhes sobre todas as modalidades, acesso ao regulamento e o que estudar para se preparar, acesse o site http://olimpiada.ic.unicamp.br/

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: Olimpíada Brasileira de Informatica (edição)

Mais informações

Automação residencial com Arduino: participe de oficina gratuita no ICMC

Iniciativa acontecerá na sexta-feira, 31 de maio, e as inscrições podem ser realizadas até dia 29

Para participar da iniciativa, é necessário trazer um celular com sistema operacional Android, equipado com bluetooth 

Cansado de levantar da cama pra acender ou desligar a luz da casa? Venha saber como utilizar uma interface comum e sem fio para enviar dados, dispensando o uso do computador ou qualquer outro dispositivo por cabo. Essa é a proposta da oficina gratuita Automação Residencial na prática: utilizando Arduino, bluetooth e celular para controlar sua casa, que será oferecida pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, na sexta-feira, 31 de maio, das 15 às 19 horas

Serão ensinados conceitos básicos em automação residencial utilizando a ferramenta Arduino, plataforma para controlar circuitos eletrônicos gerais, como luzes LED, controladores de fluxo de água, entre outros dispositivos físicos de forma descomplicada. Há 20 vagas disponíveis e as inscrições devem ser realizadas até quarta-feira, 29 de maio, ou enquanto houver vagas por meio deste link: icmc.usp.br/e/8aabd. As atividades acontecerão na sala 1-004, no bloco 1 do ICMC.

Para participar da iniciativa e realizar os exercícios que serão propostos, é necessário apenas trazer um celular com sistema operacional Android, equipado com bluetooth. Também é recomendável que o participante traga o cabo USB do aparelho e tenha conhecimento básico da linguagem de programação C.



A oficina é coordenada pelo professor Eduardo Simões, do ICMC, e será ministrada pelo estudante Guilherme Bileki. Ambos fazem parte do projeto Principia – Robôs na Escola, que desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O objetivo é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.

Texto: Marília Calábria - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da Imagem: VectorStock

Mais informações
Programa do curso: icmc.usp.br/e/0e1e9
Link para inscrições: icmc.usp.br/e/8aabd
Página do Principia no Facebook: https://www.facebook.com/RobosNaEscola
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146
E-mail: ccex@icmc.usp.br

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Matemático da USP receberá R$ 1 milhão: desafio é explicar comportamentos de sistemas como o cérebro

Selecionado pelo Instituto Serrapilheira, Tiago Pereira é professor do ICMC e estuda modelos matemáticos para compreender o que acontece em sistemas dinâmicos não lineares como, por exemplo, o cérebro e as redes sociais

O professor Tiago Pereira também é pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI)
(crédito da imagem: assessoria de comunicação do CeMEAI)


O professor Tiago Pereira, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, foi selecionado para receber até R$ 1 milhão do Serrapilheira, instituto privado de fomento à ciência brasileira. Os recursos serão aplicados para desenvolver uma teoria matemática capaz de descrever comportamentos em sistemas dinâmicos não-lineares tais como o cérebro, as redes sociais e os sensores de cidades inteligentes. 

“Nós entendemos relativamente bem o que acontece quando um sistema está isolado. Por exemplo, sabemos o que um neurônio isolado faz. Mas na natureza as coisas interagem. Então, o comportamento de um elemento depende do que acontece em sua volta e o que esse elemento faz na rede é bastante diferente do que ele faz quando está isolado”, explica o pesquisador. “A vontade de entender como o comportamento muda devido à interação é muito antigo. Na verdade, é o problema não linear mais antigo na história da ciência moderna”, completa. 

Mas por que é tão importante construir um modelo matemático que consiga mostrar o que ocorre com um neurônio quando ele interage com os demais neurônios nessa rede complexa chamada cérebro? Tiago revela que esse estudo tem potencial para contribuir com a compreensão sobre as transformações críticas que ocorrem nas redes complexas desses sistemas e que levam, por exemplo, ao surgimento de doenças como a epilepsia. “Nosso sonho é, a partir de observações do sistema no estado saudável, prever quando e como essas transições indesejadas ocorrem. Assim, conseguiríamos desenvolver mecanismos de prevenção e tratamentos”. 

Selecionado na primeira chamada pública de apoio à pesquisa científica do Instituto Serrapilheira, Tiago já havia recebido apoio financeiro de R$ 100 mil ao longo do último ano, assim como outros 64 pesquisadores contemplados entre os 1.955 inscritos. Agora, ele está entre os 12 cientistas que receberão até R$ 1 milhão cada, conforme anunciado pelo Instituto na última sexta-feira, 17 de maio. “Vou utilizar os recursos para montar um time interdisciplinar”, diz Tiago. 

“Nosso objetivo é identificar os talentos que acabaram de entrar no sistema acadêmico. A longo prazo, criar uma rede de futuros líderes da ciência brasileira”, declarou Hugo Aguilaniu, diretor-presidente do Serrapilheira, no anúncio dos contemplados. “São cientistas jovens, top”, completou o presidente do Conselho Científico do Serrapilheira, Edgar Zanotto. Do financiamento de R$ 1 milhão disponibilizado aos pesquisadores selecionados, R$ 700 mil são concedidos de forma incondicional. Os R$ 300 mil restantes estão condicionados à integração e formação de pesquisadores de grupos sub-representados em suas equipes de pesquisa. A adesão a esse mecanismo é voluntária, ou seja, os pesquisadores podem optar por receber ou não o valor destinado às práticas de estímulo à diversidade. 

Tiago Pereira recebeu a notícia de que havia sido selecionado pelo Serrapilheira durante um evento de que participava – School and Workshop on Patterns of Synchrony – no International Centre for Theoretical Physics (ICTP), em Triste, na Itália. Na sexta-feira, ele estava ministrando um workshop sobre as pesquisas que realiza intitulado “Reconstrução da estrutura de redes a partir de dados”. Pelo telefone, Tiago comemorou a conquista: “Ser representante do grupo selecionado é um enorme prazer. Seria ótimo se isso gerasse uma discussão para criar uma sociedade mais baseada em ciência e que valorizasse o conhecimento para desenvolver novas tecnologias e para o crescimento do espírito humano”. 

Para o pesquisador, receber esse aporte de recursos no atual cenário brasileiro de cortes nos investimentos em educação, ciência e tecnologia é extremamente relevante: “É muito triste ver uma ação orquestrada contra educação, justamente num país em que a gente precisa tanto disso. Meus pais estudaram apenas até o quarto ano do ensino fundamental. No meu caso, realmente, ler um pouco mudou a minha vida”. 

Graduado em Física pelo Instituto de Física da USP, Tiago fez doutorado em matemática aplicada na Potsdam Universitaet, na Alemanha. Depois, fez cinco pós-doutorados em diferentes instituições no Brasil e no exterior. Desde 2015, é professor do ICMC. 

Anúncio dos 12 professores selecionados foi realizado na última sexta-feira, dia 17 de maio
(crédito da imagem: Raphael Gomide)

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP com informações da assessoria de comunicação do Instituto Serrapilheira

Mais informações 
Assista ao vídeo do Serrapilheira: icmc.usp.br/e/c5588
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666 
E-mail: comunica@icmc.usp.br

PET Computação promove doação de sangue no Espaço Primavera

Ação social será realizada dia 28 de maio, das 19 às 22 horas



Os bancos de sangue de todo o país precisam de ajuda e contam com a mobilização de todos para salvar vidas. Preocupados com esta realidade, o PET Computação firmou parceria com o Hemonúcleo Regional de Jaú e fará um mutirão de doação de sangue na USP, em São Carlos. 

A ação acontecerá na terça-feira, 28 de maio, das 19 às 22 horas, no Espaço Primavera (no Edifício E1) e para doar é preciso estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos e pesar, no mínimo 50 kg. Outras informações sobre os critérios para doação de sangue estão estão aqui!

Quer participar? Compareça! Esteja descansado, bem alimentado e apresente documento original com foto recente, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Texto: Marília Calábria - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da Imagem: IStock
Para mais informações
Página do PET Computação: https://www.facebook.com/petcompusp/

sexta-feira, 17 de maio de 2019

ICMC oferece oficina para criação de livros infantis

Crie, ilustre e monte seu próprio livro com a oficina promovida pelo Instituto

Publicações infantis estão ganhando relevância no mercado editorial

Você já pensou em fazer uma publicação direcionada às crianças? Sabia que esse é um nicho crescente no mercado editorial? Venha aprender técnicas de ilustração, diagramação e criação de conteúdo na oficina que será oferecidas pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

A atividade "Produção de Livro Infantil: do rabisco à diagramação" ensinará, passo a passo, o processo de criação de um livro infantil, da ideia inicial até o arquivo pronto para a impressão. Serão abordados conceitos básicos dos programas da nuvem criativa da Adobe (Acrobat, Illustrator, InDesign e Photoshop) e também do CorelDRAW. 

As inscrições são gratuitas, abertas a toda comunidade e podem ser realizadas até 22 de maio ou enquanto houver vagas via formulário eletrônico. Você pode escolher realizar a atividade no domingo, 26 de maio, ou na segunda-feira, 27 de maio, sempre das 14 às 18 horas. Para participar da oficina no domingo, basta se inscrever neste link: icmc.usp.br/e/d7333. Já para se inscrever na oficina que será oferecida segunda, acesse este link: icmc.usp.br/e/ad62b.

As atividades são promovidas pelo projeto Principia - Robôs na Escola, que desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O objetivo é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: Freepik

Mais informações
Página do Principia no Facebook: https://www.facebook.com/RobosNaEscola
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/ddb06

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Arduino no ICMC: participe de oficinas gratuitas sobre componentes eletrônicos

Aprenda conceitos básicos da eletrônica e produza seu primeiro circuito com as oficinas da plataforma Arduíno

Introdução à criação de componentes e circuitos elétricos é tema de maratona de oficinas no ICMC

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, realizará, nos dias 25 e 26 de maio, uma maratona de oficinas sobre conceitos e aplicações da área de eletrônica. Serão quatro oficinas em que os participantes aprenderão desde os conceitos básicos sobre os componentes mais utilizados no mundo da eletrônica até a confecção de placas de circuito impresso (PCB) para serem acopladas à plataforma Arduino.

Por se tratar de uma ferramenta aberta, livre e de baixo custo para a criação de projetos de hardware e software, o Arduino permite conectar, de forma descomplicada, o mundo da computação com dispositivos físicos que estão ao nosso alcance na vida real. Com o Arduino, essa conexão entre a computação e a vida real tornou-se mais simples e fácil porque não é preciso ser um especialista em eletrônica para desenvolver um projeto usando esse microprocessador, que tem conquistado estudantes, programadores e profissionais de diversas áreas ao redor do mundo. 

Por isso, se você é uma pessoa que gosta de fazer seus próprios projetos, mas cansou de assistir a tutoriais na internet, venha entender como as coisas realmente funcionam e aprofunde seus conhecimentos nas quatro oficinas que serão oferecidas pelo ICMC. Todas as atividades são promovidas pelo projeto Principia - Robôs na Escolaque desenvolve métodos e ferramentas novas para o ensino de robótica para crianças a partir de dez anos de idade, com foco, principalmente, em escolas públicas municipais e estaduais. O objetivo é aproximar os jovens da tecnologia, sempre visando o aprimoramento didático e a capacidade de replicação do conhecimento.

Para participar das oficinas, que são gratuitas, basta se inscrever, via formulário eletrônico, até a próxima quarta-feira, 22 de maio, ou enquanto houver vagas. Veja, a seguir, como fazer sua inscrição em cada atividade:
  • Circuitos elétricos e eletrônica básica para sistemas controlados com Arduino
Dia 25/05, das 10 às 14 horas
Inscrições: icmc.usp.br/e/97ecb
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/dd729
  • Conceitos e aplicações de componentes eletrônicos e introdução a sistemas controlados com Arduino
Dia 25/05 - das 14 às 18 horas
Inscrições: icmc.usp.br/e/d5d45
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/40f3e
  • Introdução a simulação de circuitos com Arduino e desenvolvimento esquemático para produção de placas de circuito impresso
Dia 26/05 - das 10 às 14 horas
Inscrições: icmc.usp.br/e/2adaa
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/972e6
  • Confecção de placas de circuito impresso e aplicação em sistemas controlados com Arduino
Dia 26/05 - das 14 às 18 horas
Inscrições: icmc.usp.br/e/a41e4
Programa completo do curso: icmc.usp.br/e/f00c5

Texto: Marília Calábria – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP
Crédito da imagem: ArduínoCC

Mais informações
Página do Principia no Facebook: https://www.facebook.com/RobosNaEscola
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146
E-mail: comunica@icmc.usp.br

    terça-feira, 14 de maio de 2019

    Professor da USP cria diário para mostrar como é o dia a dia em uma universidade pública

    Ele dá aulas de computação, orienta alunos e desenvolve pesquisas em processamento de imagens, coordena um projeto na área de divulgação científica, canta no Coral da USP, em São Carlos, e decidiu relatar tudo isso em textos e imagens

    O diário de um professor da universidade pública brasileira: Moacir Ponti publicou o primeiro texto dia 6 de maio

    A balbúrdia tomava conta da web com imagens e textos sendo compartilhados à exaustão: supostamente, todos retratavam o que acontece dentro das universidades públicas brasileiras. Foi então que o professor Moacir Ponti, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, decidiu agir: na segunda-feira, dia 6 de maio, ele começou a escrever O diário de um professor da universidade pública brasileira. Mais de três mil pessoas já acessaram o conteúdo disponibilizado por Moacir na plataforma Medium, em que relatou, durante cinco dias consecutivos, os detalhes de sua rotina. 

    “Essa é uma série de posts para desmistificar o dia a dia da universidade pública. Vou registrar minha semana e postar um dia por vez aqui, um tipo de Big Brother. Se você só ouviu falar sobre como é uma universidade pública, aqui vai ter uma boa amostra da realidade. Já fui professor da Universidade Federal de Viçosa também, no Campus de Rio Paranaíba-MG, e posso dizer que a rotina é parecida, guardando as devidas particularidades de cada cidade, região e universidade”. É assim que Moacir anuncia o início de sua empreitada, ressaltando que se trata de uma iniciativa individual e que as opiniões descritas não refletem, necessariamente, as da instituição para a qual trabalha. 

    Ao relato, o professor agrega diversas imagens das aulas que ministra, das reuniões com os alunos que orienta e de todos os demais projetos de que participa. Há momentos em que a narrativa traz alento ao leitor, como quando ele conta a primeira ação da segunda-feira: “A primeira atividade é uma reunião na Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FAI-UFSCar) para discutir parcerias para o Pint of Science 2019, um evento de divulgação e popularização da ciência. A reunião foi um sucesso, e saio de lá com boas perspectivas. É fundamental divulgar a ciência para que todos saibam como a pesquisa científica nos impacta diretamente, estimulando a economia, tornando-nos mais produtivos e fortalecendo o país.” 

    Este ano, Moacir é responsável pela coordenação do festival Pint of Science em São Carlos, que acontece nas noites de 20, 21 e 22 de maio. Afinal de contas, as funções de um professor universitário vão além de ensinar e pesquisar, também é preciso promover ações de cultura e extensão universitária: “Não fosse pela arte, cultura e música, não sei se conseguiria manter minha própria sanidade. São esses os principais refúgios para a mente e daí a importância de valorizar ações nessa direção, dentro e fora da universidade”. 

    No fim de quarta-feira, 8 de maio, Moacir participa de uma reunião do Clube do Livro, ação promovida pelo Programa de Educação Tutorial (PET-Computação) do ICMC. Pautada pelo romance “A casa dos espíritos”, de Isabel Allende, trama que se passa no contexto do golpe militar chileno, a discussão termina com o grupo apreciando doces em forminhas brancas, vermelhas e azuis, tal como as cores da bandeira do Chile. Encerrando o relato desse dia, o professor desabafa e compartilha sua dor: “Há dias felizes, mas hoje é definitivamente triste. Com tanto potencial na universidade para educar, criar, desenvolver e inovar, constatar que essa não é uma prioridade dos nossos representantes traz desânimo e acaba por deixar amargo esse fim de quarta-feira (apesar dos doces). E esse amargor não parece que vai embora tão cedo. Apesar disso, amanhã há de ser outro dia — estão vindo várias músicas desse tipo na minha cabeça hoje, vai saber o porquê — e terá mais aula, mais trabalho e mais universidade pública resistindo”. 

    O livro de Isabel Allende repousa ao lado dos doces em forminhas coloridas


    Na sala de aula – Em diversos momentos do diário, Moacir conta o que acontece dentro da sala de aula e confessa o quanto gosta de ministrar disciplinas para alunos do primeiro ano do curso de Ciências de Computação. “Hoje pela manhã fiz os calouros sofrerem um pouco com os detalhes do gerenciamento dinâmico de memória e diferentes representações da informação no computador”, assim começa a narrativa de quinta-feira, 9 de maio. 

    Na sequência, o professor explica um relevante conceito da área de computação: “Algumas pessoas já sabem que tudo no computador é, na verdade, armazenado, processado e transmitido em binário. Sim, tudo é codificado usando apenas 0 ou 1, o que chamamos de bit. Essa é a menor parcela de informação — 0 e 1 pode significar, respectivamente “desligado” e “ligado”, “aberto” e “fechado”, “ausente” e “presente”, etc. (tente imaginar algo que retenha menos informação que isso). Quando encadeados em sequência, escrevemos coisas mais complexas. Por exemplo, vamos combinar um código simples de 4 bits, em que: 0001 — significa a letra “A”; 0010 — significa a letra “B”; 0011 — significa a letra “C”; 0101 — significa a letra “E”. Assim, 0010 0101 0011 0001, codifica a palavra 'BECA'. Nos computadores, a codificação padrão para caracteres tem 8 bits. Chamamos 8 bits de 1 byte — e essa palavra você já deve ter ouvido falar.” 

    Na lousa, o exemplo do tipo de conhecimento que se dissemina em uma sala de aula de uma universidade pública

    O trecho acima é um exemplo do tipo de conhecimento que se dissemina em uma sala de aula de uma universidade pública. Moacir continua o relato completando: “Na aula de hoje usamos a representação ASCII para montar “sequências de letras”. Assim, dá para programar coisas como esse post, que nada mais é do que uma lista em que cada linha é uma sequência de letras e pontuação, formando um texto. Só que, para que a lista tenha textos com tamanhos diferentes (cada parágrafo, por exemplo, é formado por uma quantidade diferente de letras), tem que conhecer bem como funciona a memória e como gerenciá-la. Isso para que os aplicativos de seu celular ou os programas do se computador funcionem certinho, sem ficarem lentos, sem travarem, sem fecharem sozinhos. E isso tudo para permitir codificar texto — sem formatação, imagens e outras coisas que ainda serão abordadas em outras aulas ou matérias do curso.” 

    Pelo conteúdo abordado nesse exemplo, já é possível perceber que uma parcela do tempo de um professor de uma universidade pública deve ser dedicada à preparação das aulas: “As aulas que eu estou ministrando esse semestre já estão na sua quarta ou quinta edição. Ainda assim, eu gasto cerca de duas a três horas de preparação por hora de aula dada. Quando é uma disciplina completamente nova, eu chego a gastar de cinco a seis horas de preparação por cada hora em sala de aula.” 

    Moacir na reunião com seus orientandos de iniciação científica, mestrado e doutorado

    No grupo de pesquisa – Nas tardes de quarta-feira, acontecem as reuniões com os estudantes que são orientados por Moacir para desenvolver pesquisas de iniciação científica, mestrado e doutorado. A cada semana, um desses estudantes fica responsável por apresentar, durante cerca de 20 minutos, um seminário aos demais, abordando um novo assunto ou falando sobre algum artigo ou conceito científico que poderá interessar aos demais. Depois, todos compartilham o andamento de seus projetos para que um possa contribuir com o trabalho do outro. Afinal de contas, hoje em dia não se faz ciência sozinho, não é mesmo Moacir? 

    “A ciência de hoje usa o mecanismo chamado revisão por pares. Não basta para um cientista obter conclusões sozinho, é preciso passar pela avaliação de outros pesquisadores (pares), de outras universidades e mesmo outros países.” Note que, para que um estudo científico tenha validade, é preciso divulgá-lo em publicações especializadas naquela área de conhecimento – são os chamados artigos científicos ou papers. É então que entra em cena a revisão por pares: os artigos que Moacir e seus orientandos escrevem são avaliados por outros pesquisadores antes de serem publicados, assim como Moacir avalia os artigos de outros pesquisadores. “Idealmente esse processo é anônimo (chamamos de revisão “cega”), diminuindo seu viés”, explica o professor. Por isso, em vários trechos do diário, surgem notícias sobre a revisão, a publicação, a submissão, a aprovação ou a reprovação de artigos, pois isso faz parte da rotina da vida de qualquer pesquisador. 

    Entre os diversos projetos que são citados nos posts do professor, há desde trabalhos que analisam imagens de plantações – uma tecnologia que tem potencial para ajudar a diminuir o volume de agrotóxicos e herbicidas no campo –, até a recuperação de imagens relacionando conteúdos visuais distintos, algo que pode ser relevante em aplicações médicas, facilitando, por exemplo, a localização de exames de pacientes que apresentem características similares. A área de pesquisa em que Moacir atua pode, ainda, trazer relevantes contribuições para alertar sobre o risco de queda em idosos, fornecendo subsídios para que sejam efetuadas intervenções preventivas, e até mesmo auxiliar na adoção de melhores políticas públicas por meio da identificação do nível de fragilidade de idosos que são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). 

    Na imagem, podemos ver os sinais captados por um acelerômetro: aparelho mensurou a marcha de idosos

    Exemplos de espectrogramas gerados a partir dos sinais de aceleração: nesse caso, o sinal captado pelo acelerômetro se transforma em uma imagem, o que pode facilitar a análise dos dados obtidos e contribuir para alertar sobre o risco de queda em idosos

    No fim do diário, Moacir diz que seguirá, enquanto puder, “recebendo alunos para orientar e tirar dúvidas, preparando e ministrando aulas, pensando em novas ideias e as colocando em prática, levando o conhecimento para fora da universidade, nessa lida sem fim do professor e pesquisador”. Na opinião dele, sempre haverá “um problema para ser resolvido, e alguma coisa nova para pesquisar, sempre existirão pessoas querendo aprender, e a humanidade sempre precisará de avanços: nas exatas, humanas, biológicas e outras, porque não se constrói conhecimento isolado, os maiores impactos vêm dos estudos envolvendo todas as áreas”. Antes do ponto final, o professor conclui: “a universidade pública vai continuar necessária e relevante para uma sociedade com menos desigualdade, mais educada e preparada para os desafios de hoje e do futuro”. 

    Leia o diário completo desse professor universitário: https://medium.com/@m.a.ponti

    Cartaz mostra a programação do Pint of Science em São Carlos: na cidade, o evento é coordenado pelo professor Moacir Ponti

    Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP 

    Mais informações
    Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666