segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A matemática está em tudo: mergulhe no especial do Jornal da USP


Despertar um novo olhar para a matemática é o principal objetivo do Especial A matemática está em tudo. Lançado nesta segunda-feira, 23 de outubro, o Especial é uma plataforma multimídia fruto de um projeto que nasceu na área de comunicação do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, em parceira com o Jornal da USP, o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

Aliás, A matemática está em tudo é o tema da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2017. Nesta semana, uma maratona de atividades acontecerá no ICMC, veja a programação completa: www.icmc.usp.br/e/91111

Além disso, este e o próximo ano foram instituídos como o Biênio da Matemática no Brasil. Nesses dois anos, diversos eventos tomarão conta do território nacional, incluindo o Congresso Internacional de Matemáticos, que ocorrerá pela primeira vez no país de 1 a 9 de agosto de 2018. 

A equipe que elaborou o Especial espera que, com esse material, a sociedade brasileira possa enxergar a matemática e as demais ciências com mais afeto.

Acesse e compartilhe o Especial:

Mais informações
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

A matemática que (quase) ninguém vê: entre na barbearia

As barbearias de antigamente voltaram à moda em grande estilo, entrar em uma delas pode ajudar você a entender melhor como funciona o raciocínio matemático de uma forma divertida e inusitada



Barbeiro, quem faz sua barba? Uma pergunta matematicamente intrigante
Crédito: Fernando Mazzola

Era uma vez um barbeiro. Na cidade em que ele trabalhava, as barbearias ainda não tinham se proliferado e ele continuava, há muitos anos, fazendo o que sempre soube fazer muito bem. Dizia com orgulho a todos que entravam em sua barbearia: “barbeio todos os homens da cidade, exceto aqueles que se barbeiam a si mesmos”. O ofício que exercia aprendera com seu pai, que havia aprendido com seu avô, que havia aprendido com seu bisavô, assim por diante, de geração em geração. Um dia, um professor de matemática entrou naquela barbearia, foi recebido com a costumeira frase, e imediatamente perguntou: barbeiro, quem faz sua barba?

Apesar de não morar nessa hipotética cidade nem ter nenhuma informação adicional sobre os personagens especialmente criados para essa breve história, você há de convir, caro leitor, que não se trata de uma pergunta fácil de ser respondida. Por isso, não se surpreenda ao revelarmos que inúmeros matemáticos e filósofos vêm se dedicando a estudar questões como essas há séculos. São perguntas que, independentemente da resposta, sempre nos levam a um beco sem saída, ou, aproveitando o trocadilho, a uma barbearia sem saída. Por quê? Basta pensar logicamente! Caso o barbeiro responda ao professor que ele faz sua própria barba (já que é um profissional muito competente, ora bolas!), então, já não se pode dizer que ele barbeia apenas aqueles que não se barbeiam a si mesmos. Por outro lado, se o barbeiro responder que é outra pessoa que o barbeia, então, é mentira que ele barbeava todos aqueles que não se barbeavam a si mesmos.

Os matemáticos dão um nome a essas situações do tipo “beco sem saída”: paradoxo. Mas não se assuste, apesar de parecer complicado à primeira vista, os fenômenos inusitados que acontecem no mundo dos paradoxos não são tão complicados assim. Nesse sentido, esses fenômenos têm um comportamento em comum: aparentemente são de um jeito, no entanto, quando vamos analisá-los de perto, somos levados a conclusões contraditórias ou a situações que contradizem nossa intuição comum. É por isso que os paradoxos são capazes de dar nó na cabeça de muita gente.

É hora de nos despedirmos do barbeiro e caminhar até a casa do escritor que mora nessa hipotética cidade. Ele está sentado na varanda, diante de uma máquina de escrever porque não é afeito a computadores. Observando sua escassa produção, você notará que um computador não seria mesmo de grande utilidade. Durante toda a vida, esse escritor escreveu apenas uma frase: “Eu estou mentindo”. Está paralisado diante dessa afirmação, que seria o princípio do seu primeiro livro. Quando pensa que ao escrever “Eu estou mentindo”, ele está falando a verdade, nota que o início do livro é uma mentira, porque ele não está mentindo nessa frase. Por outro lado, quando pensa que a afirmação é falsa, o escritor também nota que está começando seu livro com uma farsa, porque se ele não é um mentiroso, então por que diz que é?

Quebrando a cabeça - Quem desejar mergulhar fundo no mundo sem saída do paradoxo do mentiroso pode ler o artigo Paradoxos Semânticos, do professor Ricardo Santos, da Universidade de Lisboa. Segundo o professor, “o paradoxo do mentiroso é conhecido desde a antiguidade e atraiu a atenção de muitos pensadores (e de algum dos mais capazes) ao longo da história. Outros não lhe atribuíram importância, ou viram-no como uma mera curiosidade, uma espécie de charada ou de quebra-cabeças sem grandes consequências”. No livro, descobrimos que a invenção do paradoxo do mentiroso é atribuída ao filósofo Eubulides de Mileto, que viveu na Grécia no século IV antes de Cristo.

A origem desse paradoxo também está ligada ao cretense Epimênides, que viveu na Grécia dois séculos depois de Mileto. Ele afirmou que todos os cretenses são mentirosos. “Dado que o próprio Epimênides era cretense, sua frase não poderia ser verdadeira, pois ele também teria que estar mentindo. Seria, então, falsa, ou seja, deveria existir ao menos um cretense que dizia a verdade, e se esse cretense fosse o próprio Epimênides sua afirmação deveria ser verdadeira”, escreve o matemático italiano Alessio Aprosio no livro Pinóquio no país dos paradoxos. Ele explica que esse tipo de paradoxo surge no momento em que se considera uma sentença qualquer que fale de si mesma, ou seja, uma sentença em que há autorreferência. “Tentando escrever outras sentenças autorreferentes, é possível construir diversas situações interessantes, ainda que nem sempre contraditórias”, acrescenta Alessio.

O matemático italiano Alessio Aprosio recria a obra clássica
“As aventuras de Pinóquio”, fazendo o popular boneco de madeira
se deparar com enigmas e problemas lógicos
Crédito: Divulgação/Editora Zahar

Tanto a obra de Alessio quanto a de Ricardo são pratos cheios para quem aprecia esse mundo repleto de contradições. Aliás, o professor Daniel Smania, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, confessa que o paradoxo do mentiroso é o seu predileto: “O desconforto causado por esse paradoxo surge quando tentamos compreendê-lo a partir da perspectiva da lógica matemática clássica”, diz o professor.

Formulada pelo filósofo grego Aristóteles, que também viveu no século IV antes de Cristo, a lógica clássica foi criada para tentar explicar como funciona o raciocínio humano e se baseia, grosso modo, em três regras básicas: o princípio de identidade; o princípio da não contradição; e o princípio do terceiro excluído. De acordo com o princípio da identidade, uma coisa é sempre idêntica e ela mesma. Já o princípio da não contradição pressupõe que uma afirmação não pode ser verdadeira e falsa simultaneamente. Por último, vem o princípio do terceiro excluído, que prevê a existência apenas de dois valores lógicos: verdadeiro ou falso, não há meio termo.

O fato é que, por mais que inúmeros matemáticos tenham se debruçado sobre o paradoxo do mentiroso tentando não romper com esses princípios aristotélicos, nenhum deles obteve pleno êxito diante da comunidade científica. Assim, pelo menos sob a perspectiva da lógica clássica, o paradoxo continua insolúvel.

O paradoxo do mentiroso é o favorito do professor Daniel Smania.
Crédito: Fernando Mazzola

Abrindo a mente - Perceba que a lógica clássica pode fazer muitos de nós nutrir certo preconceito em relação à matemática. Porque é uma lógica que nos restringe a um universo de certos e errados, de não contradições, sem meios termos. No entanto, quando observamos a trajetória humana, a todo o momento nos deparamos com situações que não podem ser classificadas como certas ou erradas, permeadas de contradições e meios termos. “A lógica clássica é linda, ninguém vai derrogá-la. Para grande parte dos fenômenos, ela é fundamental”, revela a professora Ítala D’Ottaviano, professora do departamento de filosofia da Unicamp. Em agosto, ela esteve no ICMC para falar sobre Lógica e pensamento crítico no ciclo de seminários Ciência que Elas fazem, que fez parte da programação da 20ª edição do Simpósio de Matemática para a Graduação.

A professora dá um exemplo interessante de um fenômeno presente no nosso dia a dia e que a lógica clássica é incapaz de explicar: as redes sociais. “Coisas emergem ali que não conseguimos entender, que não se resumem apenas à soma das partes. Nesse fenômeno, você lida, no mínimo, com graus distintos de verdade e com contradições”, explica Ítala.

Outro exemplo que a pesquisadora traz à tona vem da física. Nesse campo científico, existe atualmente a convivência de teorias físicas completamente contraditórias entre si. Quando um engenheiro vai construir uma ponte, precisa utilizar princípios físicos criados por Isaac Newton que, apesar de já estarem ultrapassados, ainda são essenciais nesse tipo de aplicação. Porém, esses mesmos princípios não servem para explicar como funcionam as entranhas dos átomos, um universo invisível aos olhos humanos. Nessas entranhas, há os elétrons, que têm um comportamento bastante inusitado (para não dizer contraditório): dependendo do instrumento que se usa para observá-los, eles se comportam como partículas ou como ondas. Ou seja, são, a um só tempo, uma coisa e também outra coisa.

Isso rompe com um dos princípios da lógica clássica, o da identidade. Outra complicação: os elétrons podem estar em dois lugares ao mesmo tempo. Para compreender esse universo, novas teorias foram criadas no campo da física quântica. “Se fosse pensar em mecânica quântica, o Aristóteles ficaria atrapalhadíssimo”, brinca Ítala. “Ou talvez ele seria brilhante e descobriria como resolver esse problema. O fato é que não se pode olhar para a mecânica quântica pensando nos princípios da lógica clássica”, completa a professora.

A professora Ítala explica que, atualmente, uma pluralidade de lógicas
convivem simultaneamente e algumas delas nos possibilitam viver em um
mundo cheio de teorias contraditórias
Crédito: Denise Casatti

Não é à toa que, desde o início do século XX, assistimos ao surgimento das chamadas lógicas não clássicas, já que passamos a compreender que pode existir uma pluralidade de lógicas no universo. Uma das lógicas não clássicas que possibilita vivermos em um mundo com diversas teorias contraditórias entre si, sem que uma derrube a outra, é chamada de paraconsistente. Em geral, as lógicas paraconsistentes rompem com o princípio da não contradição. “Apesar dos matemáticos desenvolverem seu trabalho baseados na suposição de que a matemática é livre de contradições, nas ciências empíricas as contradições parecem inevitáveis e a presença de contradições não é condição suficiente para que se perca o interesse pelas teorias”, diz Ítala em entrevista que concedeu à revista de Filosofia Temática Complexitas (edição de julho/dezembro de 2016).

Perceba agora que, se pensarmos em um universo com uma pluralidade de lógicas, talvez os preconceitos que muitos de nós nutrimos em relação à matemática possam cair por terra e passemos a olhar para essa ciência com mais afeto. Então, você poderá escolher seu paradoxo predileto, porque há uma variedade enorme, para todos os gostos e em todos os domínios. Afinal de contas, como escreve o matemático Marcelo Viana, diretor do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), no artigo Paradoxos estão por toda a parte, publicado no jornal Folha de S. Paulo, os paradoxos são “uma fonte inesgotável de encantamento e um instrumento para aprimorarmos o raciocínio”.

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação ICMC/USP

ESTA REPORTAGEM FAZ PARTE DO ESPECIAL DO JORNAL DA USP 
"A MATEMÁTICA ESTÁ EM TUDO": http://jornal.usp.br/especial/matematica/

Para saber mais
Artigo Paradoxos Semânticos:
Artigo Paradoxos estão por toda a parte:
Vídeos da série “Isto é Matemática”:

Contato para esta pauta
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Descubra as relações entre a música, a matemática e a computação

Minicurso gratuito vai abordar conceitos desses três campos do conhecimento durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Atividade acontecerá dia 28 de outubro, sábado

Quais são as relações que existem entre a música, a matemática e a computação? Responder essa pergunta é um dos objetivos do minicurso que acontecerá dia 28 de outubro, sábado, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. A atividade faz parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

“A música, a matemática e a computação estão fortemente interligadas pela lógica. Mas não é raro encontrar estudantes ou profissionais com formação em matemática ou computação que desconhecem a correlação com a música. Também não é incomum encontrarmos profissionais dessas áreas com talento ou predisposição para tocar algum instrumento musical”, explica o professor Murillo Homem, do Departamento de Computação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Ele vai ministrar o minicurso Música, matemática e computação, que busca motivar os participantes para o estudo dessas ciências, vislumbrando os modelos matemáticos e computacionais que envolvem o universo musical. 

A iniciativa tem como objetivo, ainda, promover uma troca de conhecimentos entre estudantes do ensino médio e alunos de graduação. Entre os itens que serão abordados estão: a matemática do tom puro; os parâmetros físicos do som, como frequência, amplitude e fase; os parâmetros perceptuais do som, como a intensidade, a altura e o timbre; o tom complexo; a representação da informação sonora; as noções de síntese do som; além das ferramentas e ambientes para a computação musical.

O minicurso é aberto a todos os interessados, gratuito e acontecerá das 8h30 às 12h30 e das 14 às 18 horas na sala 4-005, no bloco 4 do ICMC, que está localizado na avenida Trabalhador são-carlense, 400, na área I do campus da USP, em São Carlos. Há 40 vagas disponíveis. As inscrições podem ser realizadas até a próxima quarta-feira, 25 de outubro, ou enquanto houver vagas no seguinte link: icmc.usp.br/e/cc773. Vale lembrar que o preenchimento do formulário não garante a vaga, as confirmações das inscrições serão enviadas por e-mail.

Confira a programação do ICMC: www.icmc.usp.br/e/91111

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação ICMC/USP
Crédito da imagem: freevector.com 

Mais informações
Link para inscrições: icmc.usp.br/e/cc773
Link com o programa do minicurso: icmc.usp.br/e/30071
Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC: (16) 3373.9146 ou ccex@icmc.usp.br

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Beleza da mulher com câncer: exposição está em cartaz na Biblioteca do ICMC

Público pode conferir a exposição fotográfica, que é gratuita, até 27 de outubro



Contribuir para a prevenção do câncer de mama é o objetivo de uma exposição fotográfica que está em cartaz na Biblioteca Achille Bassi, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Aberta ao público e gratuita, a exposição é uma iniciativa do Grupo Oncovita e marca o mês de conscientização sobre o câncer de mama, o Outubro Rosa.

“Dedico essa minha primeira exposição fotográfica a todas as mulheres e homens que estão lutando contra o câncer”, explica o fotógrafo Alan Almeida em um dos painéis da exposição. “Espero que cada um que olhar essas fotos pare para refletir e tome mais cuidado com a própria saúde fazendo exames preventivos”, acrescenta o fotógrafo.

A exposição fica em cartaz até o dia 27 de outubro na Biblioteca, que se localiza na área I do campus da USP, no centro de São Carlos. As visitas podem ser realizadas de segunda a sexta, das 8 às 21h30, e aos sábados, das 9 às 12 horas.

Mais informações
Página do Grupo Oncovita no Facebook: https://www.facebook.com/belezadamulhercomcancer
Comissão de Cultura e Extensão Universitária: (16) 3373.9146

ICMC promove viagem didática à Fundação Dorina Nowill para Cegos

Iniciativa é aberta à participação de todos os estudantes de licenciatura do campus da USP, em São Carlos

Proporcionar que os licenciandos do campus da USP, em São Carlos, conheçam o trabalho realizado pela Fundação Dorina Nowill para Cegos. Esse é o objetivo da viagem didática que o Laboratório de Educação Matemática do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP promoverá na próxima segunda-feira, 23 de outubro. 

Para participar, basta se inscrever neste formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/5e13e. Há 30 vagas disponíveis e terão prioridade na visita os alunos matriculados na disciplina Psicologia e na disciplina Ensino de matemática para alunos com necessidades especiais.

O ônibus que levará os estudantes à Fundação, localizada em São Paulo, sairá de São Carlos às 6h45 do ponto de ônibus próximo à portaria principal da área I do campus da USP, na avenida Trabalhador são-carlense. O retorno está previsto para as 20 horas. É necessário levar a carteira USP e demais documentos pessoais. O custo da viagem se restringe ao almoço, que será realizado em estabelecimentos comerciais próximos à Fundação.

Sobre a instituição - A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma organização sem fins lucrativos, de caráter filantrópico, que há 70 anos se dedica à inclusão social de pessoas com deficiência visual. A instituição oferece, gratuitamente, serviços especializados para pessoas com deficiência visual e suas famílias, nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. 

A Fundação também disponibiliza cursos, capacitações e consultorias, além de produzir e distribuir gratuitamente livros em braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para o público e também para cerca de 2,5 mil escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil.

Texto - Denise Casatti - Assessoria de Comunicação ICMC/USP

Mais informações
Telefone: (16) 3373-9153 (professora Esther Prado)

terça-feira, 17 de outubro de 2017

A matemática está em tudo: venha descobrir na programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Você está convidado para participar de uma série de iniciativas gratuitas do ICMC, que vão mostrar o quanto a matemática é divertida e fundamental para o desenvolvimento da humanidade





A matemática está em tudo é o tema deste ano da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Para mostrar como a matemática está presente no nosso dia a dia e contribui para explicar a beleza, as contradições e as transformações constantes do nosso universo, o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, realizará uma série de atividades gratuitas e abertas ao público de 23 a 29 de outubro.

Haverá mostras tecnológicas, palestras, mesas redondas, cursos e até um campeonato de xadrez. A programação completa está disponível em icmc.usp.br/e/3373e. Vale destacar que algumas atividades requerem inscrição prévia.

A abertura acontecerá no auditório Fernão Stella Rodrigues Romano a partir das 9h30 de segunda-feira, dia 23. A seguir, o professor Hildebrando Rodrigues irá mostrar como a matemática pode nos ajudar a compreender os eventos que acontecem de forma sincronizada no nosso mundo, tal como os batimentos cardíacos. 

Para quem gosta de jogos de tabuleiro, a iniciativa Xadrez no ICMC acontecerá nas noites de segunda a quinta-feira, no terceiro andar da Biblioteca Achille Bassi. O público poderá aprender a jogar ou treinar com outros jogadores e, no final, participar de um campeonato. 

As atividades prosseguem na terça-feira, dia 24, a partir das 9 horas, com uma mesa redonda sobre tecnologias para o ensino de matemática. Na quarta-feira, dia 25, o ICMC estará o dia todo de portas abertas para receber os estudantes do ensino médio da região com uma mostra tecnológica, palestras e bate-papo com professores e alunos da USP. Na quinta-feira, o destaque é a mesa redonda Mulheres na ciência e a jornada científica da Embrapa, que se estende até sexta-feira.

Mostra tecnológica será uma das atrações do dia 25 de outubro

Para encerrar as atividades de sexta, nada melhor do que uma sessão de cinema. É o que acontecerá a partir das 19h30 no cineclube do Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP, quando a ciência vai invadir o cinema. O professor Fernando Osório, do ICMC, discutirá as relações entre robótica e matemática a partir de trechos de vários filmes. Essa será a primeira edição do Ciência com Pipoca em São Carlos.

No sábado, é a vez do minicursos Música, matemática e computação, que será ministrado pelo professor Murillo Homem, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). No domingo, a programação se encerra na Praça da XV, onde você poderá conferir, das 13 às 18 horas, algumas tecnologias desenvolvidas pela USP e outras Instituições que apoiam a iniciativa, como a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a Embrapa Pecuária Sudeste e a Embrapa Instrumentação.

Texto: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

Mais informações
Veja a programação completa do evento: icmc.usp.br/e/3373e
Confirme presença no Ciência com Pipoca pelo Facebook: icmc.usp.br/e/cc7fe
Inscreva-se no ICMC de Portas Abertas: icmc.usp.br/e/333ae
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

Ciência com Pipoca estreia em São Carlos com bate-papo sobre robótica e matemática

Sessão gratuita terá exibição de trechos de filmes e discussão sobre conceitos científicos no cineclube do Centro de Divulgação Cultural e Científica (CDCC) da USP

Professor Osório explicará as relações entre robótica e matemática

A ciência vai invadir o cinema no próximo dia 27 de outubro em São Carlos, durante a Semana Nacional de Ciências e Tecnologia. É quando acontecerá a primeira sessão do Ciência com Pipoca, a partir das 19h30, no cineclube do Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP. 

As relações entre a robótica e a matemática serão discutidas a partir de trechos de vários filmes e animações pelo professor Fernando Osório, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP. O público poderá esclarecer as dúvidas com o professor Osório e descobrir o quanto conversar sobre ciência pode ser divertido.

“Os robôs e a robótica estão cada vez mais presentes em nossa sociedade e muito em breve farão parte do dia a dia de nossas vidas”, explica Osório. “O cinema e a ficção científica vêm explorando amplamente esse tema, mas será que esses filmes representam apenas obras de ficção científica ou o que eles mostram pode vir a se tornar uma realidade no futuro? Precisamos nos preocupar com uma revolução dos robôs?”, questiona o professor, que promete responder essas perguntas durante o evento.

A participação é gratuita, não é necessário fazer inscrições previamente, basta confirmar presença no evento via Facebook: icmc.usp.br/e/cc7fe. A sessão acontecerá na sexta-feira, dia 27 de outubro, a partir das 19h30. Os 110 lugares disponíveis serão preenchidos por ordem de chegada.

Essa será a primeira edição do Ciência com Pipoca em São Carlos, iniciativa realizada pela primeira vez no ano passado em Ribeirão Preto pelo Instituto de Estudos Avançados da USP, Polo Ribeirão Preto (IEA-RP), pelo Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (CRID) e pelo Centro de Terapia Celular (CTC), com apoio do ICMC.



Texto: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação do ICMC

Mais informações
Página do evento no Facebook: icmc.usp.br/e/cc7fe
Local: Cinceclube do Centro de Divulgação Científica e Cultural da USP: rua Nove de Julho 1227, Centro.
Confira a programação geral da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia do ICMC: icmc.usp.br/e/56c4e
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Computação mais próxima da sociedade: livro de professor e ex-aluna do ICMC é indicado ao Prêmio Jabuti

Obra escrita para descomplicar a computação está entre as dez finalistas na categoria Engenharias, Tecnologias e Informática


Com 200 páginas e oito capítulos, o livro mostra exemplos do dia a dia
 para ilustrar os diferentes cenários em que a computação é aplicada
(crédito da imagem: Fernando Mazzola)

O livro Introdução à Computação – Hardware, Software e Dados está entre os finalistas do Prêmio Jabuti, considerado o mais importante do mercado editorial brasileiro. De autoria do professor André de Carvalho, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e de Ana Carolina Lorena, professora da Universidade Federal de São Paulo e ex-aluna do ICMC, a obra explica conceitos técnicos de forma descomplicada, além de relatar curiosidades e fatos históricos.

“Para nós, estar entre os finalistas é um reconhecimento sobre a importância do tema apresentado e sobre a forma como escolhemos abordá-lo”, explica o professor André. “Tradicionalmente, as obras de introdução à computação são muito técnicas e tratam apenas de aspectos relacionados a hardware e a software. O nosso objetivo foi produzir um livro interdisciplinar, escrito para quem não é um especialista em computação”, completa o professor. 

Nesse sentido, a obra inova ao explicar a importância da computação para outras áreas do conhecimento, mostrando exemplos de sua aplicação. Outro diferencial é que as diversas subáreas desse campo do conhecimento são apresentadas ao leitor, com um destaque especial para a ciência de dados, que está em franca expansão.

Diretor do Centro de Aprendizado de Máquina em Análise de Dados (NAP-AMDA), André também é vice-diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas a Indústria (CeMEAI) e faz parte da Rede Nacional de Ciência para Educação (Rede CpE). Não é a primeira vez que ele e a professora Ana concorrem ao Jabuti. Em 2012, eles ganharam esse prêmio por causa do livro Inteligência Artificial: uma abordagem de aprendizado de máquina, redigido em parceria com mais dois autores: Katti Faceli, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e João Gama, da Universidade do Porto, em Portugal.

Este ano, 2.346 mil obras concorreram à 59ª edição do Jabuti, que tem 29 categorias. No último dia 3 de outubro, foram anunciados os finalistas de cada categoria. No momento, está acontecendo a segunda fase de avaliação, que termina em 31 de outubro, quando serão conhecidos os três primeiros colocados de cada categoria. Todos que ficarem em primeiro lugar receberão o troféu Jabuti e R$ 3,5 mil. Quem ficar na segunda e terceira colocação recebe apenas o troféu. A cerimônia de entrega do Jabuti acontecerá em 30 de novembro, no auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

Para André, estar entre os finalistas é um reconhecimento em relação à 
importância do tema apresentado e à forma que os autores escolheram abordá-lo
(foto: João Terazani - CeMEAI)

Descomplicando a computação - Você sabia que a primeira pessoa a programar um computador foi uma mulher? Ou então que existe um teste que permite identificar se você está falando com um ser humano ou com uma máquina? Curiosidades como essas são encontradas durante a leitura de Introdução à Computação – Hardware, Software e Dados.

Segundo o professor, quem não é da área de computação, como estudantes de humanas, de engenharia e até do ensino médio, não tem acesso a um livro que fale sobre os aspectos sociais da computação, mostre como ela pode ajudar a resolver problemas de diferentes campos do conhecimento e como é feita a análise de diversos tipos de dados. Composta por 200 páginas e oito capítulos, o livro mescla exemplos reais do dia a dia para ilustrar os múltiplos cenários em que a computação é aplicada. Para tornar o conteúdo ainda mais atraente, temas atuais são debatidos, exercícios são propostos e uma série de fatos históricos e curiosidades são relatados. 

Uma dessas curiosidade que está presente no livro ocorreu em 2008, na inauguração de um terminal de um aeroporto da Inglaterra. Um problema em um programa de computador fez com que 42 mil bagagens fossem enviadas para destinos incorretos e muitos voos cancelados, causando um prejuízo de meio bilhão de dólares. “Muitas coisas com as quais nos deparamos no cotidiano têm computação por trás, como em uma máquina de lavar roupa, no acelerador de um automóvel e nos aplicativos de redes sociais”, explica o professor.

Também é objetivo da obra promover uma maior conscientização nos leitores: “Nós tratamos da importância de aprender a como lidar com o descarte adequado de computadores, a reciclar e a utilizar máquinas que consumam menos energia, princípios que fazem parte da chamada Computação Verde”. 

Produzido pela editora LTC, o livro levou cerca de cinco anos para ser escrito. A coautora, Ana Carolina Lorena, é ex-aluna de Ciências de Computação do ICMC. Seu contato com André teve início ainda na graduação, quando foi orientada pelo docente em sua iniciação científica. Mais tarde, eles se encontraram novamente para que o professor lhe orientasse no doutorado. A parceira tem gerado bons resultados e, quem sabe, até mesmo mais um Prêmio Jabuti.

Texto: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação do ICMC
Com a contribuição de Henrique Fontes

Mais Informações
Link para o site da editora: icmc.usp.br/e/5842e
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373-9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Faça um jogo em 48 horas usando softwares livres

Maratona de desenvolvimento de games acontecerá na USP, em São Carlos, e na UNICAMP, em Campinas

Estudante correm contra o tempo durante maratona de
desenvolvimento de jogos realizada no ICMC em janeiro deste ano

Você quer colocar a sua criatividade à prova? Que tal desenvolver um game em apenas 48 horas, estabelecer contatos com outros programadores, artistas, músicos, sonoplastas e entusiastas da área e colocar a mão na massa usando apenas softwares livres? Então, não deixe de se inscrever na Livre Game Jam, uma maratona de desenvolvimento de jogos que acontecerá de 20 a 22 de outubro no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

O objetivo do evento é incentivar a produção e o desenvolvimento de jogos e a disseminação da cultura de softwares livres, para todo tipo de profissional ou para quem realiza a atividade por hobby. Por isso, a iniciativa é aberta à comunidade, totalmente gratuita e é direcionada tanto para pessoas interessadas em desenvolver jogos eletrônicos quanto analógicos (como jogos de tabuleiro ou cartas). As únicas regras são seguir os temas apresentados na abertura da Livre Game Jam e tentar utilizar o maior número de softwares ou recursos livres durante o desenvolvimento dos jogos. As inscrições para participar do evento em São Carlos podem ser realizadas neste formulário: icmc.usp.br/e/46482.

No ICMC, o evento começará a partir das 20 horas do dia 20 de outubro, sexta-feira, no auditório Luiz Antonio Favaro (sal 4-111, no bloco 4) e vai se estender por todo o fim de semana em várias salas do bloco 3 do Instituto. Em São Carlos, a iniciativa é organizada pelo grupo de extensão Fellowship of the Game (FoG) e pelo grupo de software e cultura livre sancaLUG, sendo fruto de uma parceria com os grupos Gamux e LivreCamp, de Campinas, que realizarão a maratona no Instituto de Computação da UNICAMP. 

“Uma game jam é o ambiente ideal para mentes criativas que querem projetar, criar e desenvolver algo interessante, diferente e inovador, desde o conceito do game até o que se consegue fazer depois de 48 horas”, conta Gabriel Toschi, coordenador de relações públicas do FoG. “Participar de um evento como esses é uma experiência muito legal e quase obrigatória para qualquer um que goste de criatividade e solução de problemas”, completa.

Novas ferramentas ― Para motivar a participação na Livre Game Jam, nas semanas que antecedem a maratona, o FoG organizará workshops apresentando ferramentas de código aberto usadas no desenvolvimento de jogos. Todos serão ministrados por membros do grupo e acontecerão das 19 às 21 horas no auditório Fernão Stella de Rodrigues Germano do ICMC (sala 6-001, no bloco 6). Os workshops são gratuitos e abertos ao público, mesmo para aqueles que não poderão participar da Livre Game Jam. Além disso, haverá transmissão ao vivo e os workshops ficarão gravados posteriormente no canal do FoG no YouTube

No dia 10 de outubro, a artista Anayã Ferreira apresentará o Krita, software livre para a produção de arte digital. No dia 16 de outubro, o programador Gil Barbosa Reis mostrará um pouco mais sobre a Godot, ferramenta de fácil aprendizagem para o desenvolvimento de jogos digitais. No dia seguinte, 17 de outubro, será a vez de aprender um pouco mais sobre o framework LÖVE, que dá suporte aos desenvolvedores que desejam criar seu jogo na linguagem Lua. Mais informações sobre estes workshops podem ser encontradas no site do evento: https://livregamejam.org/#AGENDA.



Texto: Assessoria de Comunicação do ICMC com informações do FoG

Mais informações
Site do evento: https://livregamejam.org

terça-feira, 3 de outubro de 2017

USP de portas abertas: ICMC receberá estudantes para visita monitorada dia 25 de outubro em São Carlos

Para se inscrever no evento, que é gratuito, basta preencher um formulário eletrônico; as visitas podem ser realizadas em grupo ou individualmente

Aprendizado e diversão: mostra tecnológica é uma das atrações da visita monitorada

A USP é gratuita mesmo? Será que um estudante de escola pública consegue ingressar? Para trabalhar na área de tecnologia, é melhor cursar ciências de computação, engenharia de computação ou sistemas de informação? É verdade que faltam estatísticos no mercado de trabalho? Qual a diferença entre fazer bacharelado e licenciatura em matemática?

Dúvidas como essas costumam perturbar a vida de muitos estudantes no final do ensino médio. Para ajudar a responder essas questões, o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, estará de portas abertas no próximo dia 25 de outubro, realizando atividades especialmente para o público pré-vestibular pela manhã, das 9 às 12 horas, e à tarde, das 14 às 17 horas.

Em cada período, há 200 vagas disponíveis. As inscrições são gratuitas, já estão abertas e podem ser realizadas até que as vagas se esgotem por meio do formulário disponível neste link: icmc.usp.br/e/623cb. É possível realizar a inscrição individualmente ou em grupo.

A visita monitorada faz parte das atividades que o Instituto realizará durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Além de uma mostra tecnológica, em que serão apresentadas atividades de pesquisa e extensão realizadas nos mais de 30 laboratórios do Instituto, a programação do evento contará com palestras e bate-papo com alunos e professores. É uma oportunidade para que os estudantes esclareçam suas dúvidas e obtenham informações sobre as perspectivas para a carreira de quem escolhe um dos oito cursos de graduação oferecidos pelo ICMC.

Vale ressaltar que a USP é uma universidade pública e gratuita, reconhecida como uma das melhores Universidades do Brasil. Os estudantes podem ingressar nos cursos oferecidos pela instituição via Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou pelo vestibular da Fuvest.

Inscrições para o evento podem ser realizadas em grupo ou individualmente


Texto e fotos: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação ICMC/USP

Mais informações
Conheça as formas de ingresso, os programas de inclusão e de permanência estudantil: http://www.prg.usp.br/?p=20735
Assista ao vídeo para saber quanto custa estudar na USP: icmc.usp.br/e/e36f2
Saiba mais sobre os cursos oferecidos pelo ICMC: http://www.icmc.usp.br/graduacao
Dúvidas: escreva para ccex@icmc.usp.br ou ligue para (16) 3373.9146.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Inscreva-se na Trilha e adiante sua pós-graduação em Ciências de Computação e Matemática Computacional

Uma palestra explicativa será ministrada aos estudantes na próxima quarta-feira, 4 de outubro, às 14h30, no auditório Luiz Antonio Favaro do ICMC

Inscrições começam dia 20 de novembro (crédito da imagem: Nilton Junior/ArtyPhotos)


Você está cursando graduação na USP na área de computação, matemática, estatística, engenharia elétrica ou áreas afins e 2018 é seu último ano? Então, pode se inscrever, de 20 de novembro até 4 de dezembro, em uma iniciativa oferecida pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos: a Trilha-Graduação-Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Computação e Matemática Computacional.

A oportunidade é oferecida a todos os estudantes que desejam ingressar na pós-graduação e querem adiantar o tempo de finalização do mestrado, podendo obter o título em apenas um ano e meio depois da graduação (18 meses) ou menos. Como pré-requisito é preciso, além de estar em 2018 no último ano letivo de um curso de graduação nas áreas relacionadas ao Programa, ter realizado ou estar desenvolvendo projetos de iniciação científica reconhecidos pela Comissão de Pós-Graduação do ICMC. Além disso, também é necessário ter média ponderada geral igual ou superior a 7.0.

Para participar do processo seletivo, basta acessar o sistema https://vagas.icmc.usp.br a partir de 20 de novembro e anexar a seguinte documentação: 
  • foto (arquivo em JPG);
  • histórico escolar da graduação (arquivo em PDF);
  • currículo, que deve informar as atividades de iniciação científica (arquivo em PDF) ou link para o Currículo Lattes; 
  • plano de pesquisa assinado pelo aluno e pelo orientador que o está encaminhando, caracterizando a linha de pesquisa e o cronograma das principais atividades relativas ao projeto de mestrado (arquivo em PDF).
Além disso, o candidato deve indicar duas pessoas para preenchimento das cartas de recomendação. Caso o nome do orientador atual ou das pessoas recomendadas ainda não estiver cadastrado no sistema, o candidato deverá efetuar o cadastro. O Serviço de Pós-Graduação enviará as solicitações de carta de recomendação para os indicados, que receberão por e-mail as instruções de preenchimento do documento. A seguir, o próprio sistema encaminhará as cartas diretamente ao Serviço de Pós-Graduação.

Uma palestra explicativa sobre a iniciativa será ministrada aos estudantes na próxima quarta-feira, 4 de outubro, às 14h30, no auditório Luiz Antonio Favaro do ICMC (sala 4-112). O resultado da seleção será divulgado no dia 18 de dezembro. 

Mais informações
Página da Trilha Graduação-Mestrado: http://icmc.usp.br/pos-graduacao/ppgccmc/ingresso
Sistema para inscrição (disponível de 20/11 a 04/12): https://vagas.icmc.usp.br
Serviço de Pós-Graduação do ICMC: (16) 3373.9638
Email: ppgccmc@icmc.usp.br

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Primeira Semana da Engenharia de Computação termina com homenagem a professores

Evento aconteceu de 18 a 22 de setembro

A primeira Semana da Engenharia de Computação da USP, em São Carlos, contribuiu para complementar a formação profissional e acadêmica dos participantes e contou com uma programação bastante diversificada: palestras, minicursos, viagem técnica, atividades culturais e feira de recrutamento e de exposição de projetos. 

O evento aconteceu de 18 a 22 de setembro e, no último dia, a Secretaria Acadêmica da Engenharia de Computação (SAEComp) realizou a já tradicional homenagem aos professores. Entre os homenageados estão três docentes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC): Everaldo Bonotto, Nivaldo Grulha Júnior; e Valdir Menegatto. Os docentes Aline Corato, do Instituto de Arquitetura e Urbanismo, e João Navarro Júnior, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), completam a lista dos homenageados.

Para definir os professores que serão reconhecidos, a Secretaria gera, no final de cada semestre, um formulário online, o qual é respondido pelos alunos. Para a escolha, só estão aptos à votação professores do semestre anterior ao atual. Os critérios de escolha são, por exemplo, o empenho do professor com a turma (que engloba o preparo de aula, preocupação do aprendizado, confecção de listas, etc.), o ensino (que abarca tanto o domínio da disciplina quanto a qualidade dos trabalhos pedidos) e características como carisma e humildade.

A cerimônia foi realizada dia 22 de setembro, no auditório Jorge Caron da EESC. Como símbolo da homenagem, os alunos confeccionaram, molduraram e entregaram a cada professor escolhido um certificado de menção honrosa com palavras de agradecimento. O curso de Engenharia de Computação é oferecido em parceria pelo ICMC e pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC).

Além disso, também foram homenageados os alunos do curso que tiveram ótimos desempenhos acadêmicos: Giuliano Prado; Moisés Silva e Henrique da Silveira.

Confira nosso álbum de fotos no Flickr e no Facebook!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Vem chegando a primavera: veja as imagens do evento



O evento Vem chegando a primavera aconteceu na última quinta-feira, 21 de setembro, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. A atividade marcou o Dia da Árvore e a chegada da Primavera e aconteceu das 8h30 às 12h30.

Foram realizadas diversas iniciativas, tais como: plantio de várias espécies de árvores como pau-brasil, jacarandá e quaresmeira; sessão de ginástica laboral; inauguração de um ponto de recolhimento de pilhas e CDs, de um novo local para coleta de doações a campanhas solidárias e de um lavatório para canecas a fim de desestimular o uso de copos descartáveis. Além disso, foi inaugurado o novo jardim em frente ao bloco 4, onde aconteceu a apresentação do Coral da USP São Carlo, marcando o encerramento das atividades.

Veja o álbum de fotos do evento no Flickr e no Facebook.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Minicurso sobre realidade aumentada em jogos será realizado no ICMC

Mestrando do instituto mostrará conceitos básicos sobre a tecnologia da realidade aumentada em curso gratuito




A realidade aumentada chegou há alguns anos para revolucionar a maneira com a qual enxergamos a realidade. Ao misturar o mundo em que vivemos com objetos e ambientes virtuais, essa tecnologia está abrindo novos caminhos quanto à forma com a qual realizamos tarefas e nos entretemos.

No próximo dia 7 de outubro, sábado, um minicurso gratuito sobre o tema acontecerá no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. O conteúdo do minicurso abordará como desenvolver uma aplicação de realidade aumentada utilizando a ferramenta Unity 3D, a partir da tecnologia Vuforia, um dos meios atuais mais adequados para integrar a nova tecnologia às plataformas Android e IOS.

Promovido pelo grupo de extensão Fellowship of the Game (FoG), que visa desenvolver e estudar tecnologias na área de jogos eletrônicos, o minicurso será ministrado por Marcio Maestrelo Funes, mestrando no programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação e Matemática Computacional do ICMC. Marcio tem experiência na área de games, tendo atuado como docente e desenvolvedor. Atualmente realiza pesquisas em avaliação de experiência do usuário com interfaces baseadas em gestos, acessibilidade e web.

O evento é aberto a todos os interessados, gratuito e ocorre na sala 5-001 do bloco 5 do ICMC, das 14 às 18 horas, sendo necessário levar um notebook com Unity 3D instalado e também com o kit de desenvolvimento do minicurso (disponível neste link). Para se inscrever, basta preencher o formulário disponível neste link: icmc.usp.br/e/7a20a. As vagas são limitadas.


Texto: Gabriel Toshi (coordenador de Relações Públicas do FoG) e Klinsmann Hengles (membro do Fog)

Mais informações
Link para inscrições: icmc.usp.br/e/7a20a
Kit de desenvolvimento: icmc.usp.br/e/611a4
Site do FoG: http://www.fog.icmc.usp.br

Pesquisadores alemães falam sobre inclusão e exclusão na educação nesta quarta-feira

Programação, gratuita e aberta às pessoas interessadas, acontece na USP e na UFSCar 


Nesta quarta-feira, dia 27 de setembro, São Carlos recebe a visita dos professores alemães David Kollosche, da Universidade de Frankfurt, e Michel Knigge, da Universidade de Potsdam, que farão palestras e participarão de debates sobre inclusão e exclusão na educação como um todo e na educação matemática em particular. 

Às 10 horas, Kollosche falará sobre a autoexclusão na educação matemática a partir de estudos empíricos. A exposição parte da constatação de como as pessoas que têm problemas com a matemática frequentemente a evitam, ou atribuem a si mesmas baixas habilidades matemáticas, em um processo que leva à autoexclusão do discurso matemático e à instalação da matemática como um instrumento incontestável de poder. A apresentação acontece no auditório Luiz Antônio Favaro, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Confira o resumo,

A partir das 14 horas, a programação continua na UFSCar, no auditório do Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). A palestra de Knigge será sobre inclusão educacional em escolas da Alemanha, mas o palestrante também apresentará o Potsdam Center para a pesquisa empírica em educação inclusiva e discutirá o termo "inclusão" e a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiências. Veja aqui o resumo.

A participação é gratuita e aberta a todas as pessoas interessadas, sem necessidade de inscrição prévia e com entrega de certificados. Haverá tradução simultânea.

O evento é organizado pela professora Renata Meneghetti, do Departamento de Matemática do ICMC, e pelo professor João dos Santos Carmo, do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com patrocínio da Universidade de Potsdam.


Mais informações
Seção de Eventos do ICMC
Tel. (16) 3373-9622 / eventos@icmc.usp.br

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

ICMC contrata professor temporário para o Departamento de Matemática


O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, recebe até o dia 4 de outubro as inscrições no processo seletivo para contratação de um docente temporário para o Departamento de Matemática.

O professor contratado deverá ministrar as disciplinas: Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental e Médio, Introdução aos Estudos da Educação, Introdução aos Estudos da Educação I, Estágio Supervisionado em Ensino de Matemática I e Didática, em jornada de 12 horas semanais e salários de R$ 1.849,66 (para os contratados com título de Doutor) e R$ 1.322,41 (para os contratados com título de Mestre) além de auxílio alimentação no valor de R$ 690,00 e assistência médica.

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente via internet até às 17 horas do dia 4 de outubro (horário oficial de Brasília/DF) por meio deste link: uspdigital.usp.br/gr/admissao.

Para obter mais detalhes sobre prazos, provas e documentações, acesse o edital completo: icmc.usp.br/e/e417e.


Mais informações
Edital ATAc/ICMC/SMA-USP nº 083/2017: icmc.usp.br/e/e417e

Pesquisa da USP e da UFSCar para evitar quedas em idosos será apoiada pelo Google

Ideia é desenvolver um produto que monitore os padrões de caminhada dos idosos

Dois projetos da USP estão entre os selecionados no Google LARA 2017
(Foto: Divulgação/Google)
Quedas em idosos são consideradas um problema de saúde pública devido à gravidade das lesões que podem gerar. Diversos métodos já existem para auxiliar cuidadores e médicos a prevenir esses acontecimentos, mas eles costumam limitar a liberdade dos idosos. Por isso, uma pesquisa realizada por meio de uma parceria entre o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e o Departamento de Gerontologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) tenta resolver essa questão de outra perspectiva. O projeto foi premiado, no fim de agosto, com uma bolsa de estudos financiada pelo Google, com duração de um ano. 

Com a utilização de um acelerômetro, um pequeno aparelho que mede a alteração de velocidade durante um percurso, a pesquisa pretende detectar tendências que podem levar idosos saudáveis a quedas em um futuro próximo. Realizada pela mestranda de Gerontologia da UFSCar, Patrícia Bet, a pesquisa recebe a orientação do professor Moacir Ponti, do ICMC, e também conta com o apoio da professora Paula Costa Castro, da UFSCar.

Segundo Moacir, que é pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), sediado no ICMC, o diferencial do projeto é a previsão das quedas: “já existem soluções, inclusive comerciais, que detectam a queda depois que ela aconteceu, ou no momento em que ela acontece. Na nossa pesquisa, já conseguimos identificar se a pessoa tem um histórico de quedas recente. Agora, nós queremos detectar se a pessoa vai cair no futuro”.

Para isso, eles realizaram diversos testes e estabeleceram uma amostra de 74 idosos que não possuem histórico de quedas nos últimos seis meses. A avaliação consiste em um questionário sócio demográfico e outro de rastreio cognitivo, que segundo Patrícia, analisa diversos domínios: atenção, memória, orientação, capacidade de nomeação, de obediência a um comando verbal/escrito, de redação livre de uma sentença e de cópia de um desenho complexo. “Quem possui declínio cognitivo foi excluído da amostra, porque nós sabemos que isso representa um risco maior de quedas”, afirma a pesquisadora.

Esse pequeno aparelho é o acelerômetro. Smartphones que possuem esse sensor
podem ser uma alternativa para fazer os testes no futuro. (Foto: Alexandre Wolf) 

Os pesquisadores também fizeram o teste Timed Up and Go (TUG), que consiste, resumidamente, em cronometrar o tempo que o participante leva para levantar de uma cadeira, caminhar três metros em linha reta e voltar para o assento. O teste é feito com um acelerômetro colocado na altura do umbigo, que coleta os dados com os quais os pesquisadores irão trabalhar. “O desafio é, principalmente, processar os sinais e extrair características que possam indicar futuras quedas. Há uma grande quantidade de sinais brutos, o que inviabiliza fazer uma análise direta”, afirma Moacir.

Com a etapa de teste já concluída, os pesquisadores precisam, agora, de tempo para acompanhar os voluntários e analisar os resultados. “Nós vamos ligar de três em três meses para saber se os idosos caíram e, no final, vamos saber quem caiu em cada período desse tempo. Supondo que uma parte dos participantes venham a cair, nós vamos comparar os dados deles com os dos que não caíram”, ele explica.

O resultado final, segundo os pesquisadores, deve estabelecer padrões de alerta, para que cuidadores e médicos tomem as medidas necessárias que evitem uma queda. “Nós sabemos que a queda é consequência de algo, então, nós esperamos ser capazes de observar algum padrão, no presente, que indique um risco de queda no futuro. Nós vamos ver o quanto esses dados permitem predizer uma queda num prazo de um ano, e como eles vão se alterar”, diz Moacir.

O futuro do projeto - Além disso, eles pretendem avançar os estudos para desenvolver um produto que colete os dados a todo o tempo e possa ser utilizado no dia-a-dia, por qualquer idoso. Como o acelerômetro é pequeno, ele pode ser convertido em um produto dedicado para esse fim, como uma pulseira. Um smartphone que possua esse sensor também poderá ser utilizado, mas ainda existem questionamentos com relação à análise dos dados. “A princípio, o teste para saber se o idoso possui risco de cair poderia ser feito de forma manual por ele mesmo. No entanto, existe potencial para que um aparelho dedicado seja capaz de analisar os dados automaticamente. Nesse caso, ele deveria ser retirado apenas para troca ou recarga da bateria”, explica o orientador. Os códigos e dados da pesquisa estão disponíveis no Github para quem deseja se aprofundar no projeto.

Moacir e Patrícia durante a apresentação do projeto,
no campus do Google. (Foto: Arquivo pessoal)
O Google reconheceu o potencial do projeto no fim de agosto, durante o Google Latin America Research Awards (LARA), que está no quinto ano de existência. Este ano, foram selecionados 27 projetos de pesquisa em toda a América Latina. Ao todo, houve 281 submissões, vindas de nove países, e o Brasil conquistou a maioria das bolsas (17). Duas dessas bolsas de estudos financiadas pelo Google, com duração de um ano, estão relacionadas a projetos do ICMC. “Esses projetos têm que estar, de preferência, em uma área de interesse do Google. O nosso entrou na categoria de tecnologias móveis porque o projeto usa sensores móveis para adquirir dados a partir da marcha dos idosos”, explica Moacir.

A premiação foi realizada no Campus da empresa, em São Paulo, e também teve o objetivo de aproximar a academia da comunidade de empreendedores. “Algumas empresas, principalmente startups, participaram do evento para, futuramente, acompanharem o desenvolvimento dos projetos. Deu para notar que o Google quer apoiar iniciativas que, além de cientificamente sólidas, tenham apelo comercial ou social, com potencial de aplicação em médio prazo”, diz o professor. Segundo ele, não existem contrapartidas do Google para o financiamento do projeto, apenas um relatório de atividades após um ano e menção à empresa como agradecimento nas publicações. 

O outro projeto do ICMC premiado com a bolsa de estudos do Google é intitulado Ferramenta inteligente de escrita com os olhos sem interrupções para usuários sem capacidade motora, e pretende entregar um software para digitação de textos a partir do olhar. Esse produto será destinado para pessoas que tenham deficiências motoras, como a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), com adaptações específicas que ajudem a digitar mais rapidamente e reduzir a fadiga ocular.

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de comunicação ICMC/USP


Mais informações
Artigo publicado na Plos ONE com os resultados iniciais da pesquisa: icmc.usp.br/e/929cf
Códigos e dados da pesquisa no Github: icmc.usp.br/e/f60a9
Reportagem do Google sobre os vencedores do LARA: icmc.usp.br/e/4a4e7
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666 / e-mail: comunica@icmc.usp.br

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Intel realiza workshop sobre inteligência artificial no ICMC

Empresa mostrará plataformas de aprendizado de máquina e aprendizagem profunda, além de apresentar exemplos de aplicações na vida real 



A inteligência artificial é um campo em franca expansão e, a cada dia, novas plataformas são criadas, possibilitando as mais diversas aplicações na vida real como, por exemplo, o reconhecimento automático de imagens. Com o objetivo de aprimorar o conhecimento dos estudantes da Universidade de São Paulo (USP), no campus de São Carlos, e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a Intel realizará um workshop sobre o tema no dia 30 de setembro, sábado, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC).

O evento é gratuito e acontecerá das 8h30 às 13 horas. Para participar, é preciso se inscrever na plataforma Eventbrite: icmc.usp.br/e/ed933. Há 100 vagas disponíveis para estudantes da USP e 100 vagas para estudantes da UFSCar. As inscrições podem ser realizadas até dia 29, às 17 horas, ou enquanto houver vagas. 

Um dos coordenadores da iniciativa é Tulio Marin, gerente de Programas Acadêmicos da Intel. Segundo ele, o workshop abordará os fundamentos da área de inteligência artificial, com foco em frameworks recentemente otimizados para a arquitetura da empresa como, por exemplo, Neon, Caffe e Theano. Também serão abordados conteúdos relacionados a aprendizado de máquina, aprendizagem profunda e Redes Neurais Convolucionais (CNN), além de apresentadas aplicações na vida real.

Na opinião do professor André de Carvalho, do ICMC, especialista em inteligência artificial, há uma crescente demanda no mercado de trabalho por profissionais que possuem conhecimentos nessa área. “Constantemente, recebemos o contato de empresas buscando profissionais do ICMC que conheçam aplicações em aprendizado de máquina. Por isso, nossos estudantes precisam saber usar as ferramentas adequadas para essas aplicações e a Intel possui algumas das principais soluções criadas com essa finalidade”, explica o professor. “Poucas universidades têm acesso a essas soluções. Por isso, é um privilégio o ICMC sediar esse workshop”, acrescenta André. O professor é membro do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e destaca a importância de promover a aproximação entre a academia e as empresas, um dos objetos do Centro. 

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

Mais informações
Seção de Eventos do ICMC: (16) 3373.9622
E-mail: eventos@icmc.usp.br