terça-feira, 22 de agosto de 2017

Computação, matemática e estatística: conheça os cursos do ICMC e se inscreva na Fuvest

Estudantes têm até dia 11 de setembro para fazer a inscrição; entre as novidades está o aumento de vagas no curso de Sistemas de Informação, oferecido pela USP em São Carlos

O ICMC oferece 354 vagas em seus oito cursos de graduação

Quem deseja estudar no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP já pode se inscrever em uma das portas de entrada para seus cursos de graduação: o vestibular 2018 da Fuvest. As inscrições ficam abertas até 11 de setembro e devem ser feitas exclusivamente pelo site da instituição, a taxa é de R$ 170.

O ICMC oferece, ao todo, 345 vagas, divididas em oito cursos de graduação: Ciências de Computação; Engenharia de Computação; Sistemas de Informação; Matemática Aplicada e Computação Científica; Estatística; Licenciatura em Ciências Exatas; e Matemática (Bacharelado e Licenciatura). Estudantes que ainda têm dúvidas sobre as diferenças entre esses cursos podem consultar o guia Faça parte do futuro.

Uma das novidades para 2018 é que o curso de Sistemas de Informação teve sua oferta aumentada de 40 para 50 vagas. Outra mudança é que todos os cursos do ICMC vão possibilitar o ingresso pelo Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Até o ano passado, só era possível entrar em Engenharia de Computação pela Fuvest (saiba mais).

Das 11.147 vagas oferecidas pela USP para 2018, 2.745 são destinadas para o ingresso via SiSU. Do total, também existe a reserva de 37% para alunos provenientes de escolas públicas e autodeclarados pretos, pardos e indígenas. Essa é a primeira vez que a USP adota uma política institucional de cotas sociais e raciais, as quais irão aumentar gradualmente todos os anos até 2021, quando 50% de todas as vagas serão destinadas a essa parcela da população.

A Fuvest oferece, ainda, diversos tipos de bônus na nota do vestibular para candidatos que cursam ou já concluíram o ensino médio em escolas públicas (saiba mais). Vale lembrar que a USP é uma universidade gratuita e até quem não tem recursos financeiros para estudar pode ter acesso a diversas formas de auxílio para se manter durante a graduação. É possível, por exemplo, adquirir uma vaga na moradia estudantil ou auxílio moradia, apoio transporte, apoio alimentação ou apoio livros. Essas oportunidades estão detalhadas no vídeo Você sabe quanto custa estudar na USP?, criado pelo ICMC.

Feira de profissões da USP - Para os estudantes que ainda estão em dúvida sobre a carreira que desejam seguir, a USP organiza, a partir desta quinta-feira, 24 de agosto, a 11ª Feira USP e as Profissões. Realizada na cidade de São Paulo, no Parque Cientec (rua Miguel Stéfano, 4200, na Água Funda), a iniciativa é uma oportunidade para os futuros vestibulandos conhecerem todas os cursos oferecidos pela universidade, tirarem dúvidas sobre a carreira e o mercado de trabalho. Veja mais informações no site da feira, que acontecerá até 26 de agosto.

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação ICMC/USP

Mais informações
Site: www.fuvest.com.br (inscrições até 11/09)
Cursos do ICMC: icmc.usp.br/graduacao

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Oportunidade: USP oferece curso gratuito de Libras para ensino de matemática

Para participar, interessados devem ter conhecimento básico sobre a Língua Brasileira de Sinais

Curso acontecerá nas noites de segunda-feira, de 28 de agosto até 4 de dezembro

Se você deseja aprimorar seu conhecimento sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) para o ensino de matemática pode se inscrever em um curso gratuito que será oferecido pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Com início no dia 28 de agosto, o curso tem como público-alvo estudantes de matemática ou de áreas relacionadas que já tenham conhecimento básico em Libras.

O objetivo é fornecer noções sobre essa Língua no ambiente da sala de aula de matemática para que os alunos e professores possam oferecer aos surdos um ensino de qualidade, além de promover melhorias na comunicação, tornando-a mais receptiva. Além disso, o curso oferece oportunidades para a construção de estratégias adequadas para o ensino de matemática e acesso a um vocabulário específico para comunicar conceitos relacionados à área.

As aulas acontecerão de 28 de agosto a 4 de dezembro e serão realizadas às segundas-feiras, das 21 às 23 horas, na sala 3-009, na área I do campus da USP, no centro de São Carlos. Para se inscrever, é preciso preencher o formulário online disponível neste link do Sistema Apolo: icmc.usp.br/e/cb191

Em seguida, o interessado deve enviar e-mail, até 23 de agosto, para a ministrante do curso, a professora Adriana Bellotti (dribellotti@gmail.com), do ICMC, anexando um dos seguintes documentos: comprovante de curso introdutório em libras ou comprovante da conclusão da disciplina de Libras para alunos da USP (apresentar histórico do Júpiter). Caso o interessado não tenha como comprovar formalmente o conhecimento em libras, é preciso agendar, por e-mail, uma entrevista com a ministrante para o dia 24 de agosto. Os aprovados serão informados por e-mail no dia 25.

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação ICMC/USP

Mais informações
Formulário de inscrição no Apolo: icmc.usp.br/e/cb191
Programa do curso: icmc.usp.br/e/06800
Comissão de Cultura e Extensão: (16) 3373.9146
E-mail: ccex@icmc.usp.br

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Participe do Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP

Podem se inscrever no evento alunos que desenvolveram projetos de iniciação científica ou tecnológica em qualquer instituição de ensino; primeira etapa do evento no ICMC acontecerá dia 20 de setembro

Etapa internacional do evento acontecerá dias 24 e 25 de outubro em São Paulo

Se você é estudante de graduação e desenvolveu um projeto de iniciação científica ou tecnológica pode apresentar seu trabalho no 25º Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP (SIICUSP). O evento é aberto à participação de alunos de instituições de ensino brasileiras e internacionais.

Para inscrever seu projeto, basta acessar o site do evento até a próxima segunda-feira, 14 de agosto. Quem nunca participou do Simpósio pode acessar o manual do sistema de inscrições e ver, passo a passo, como cadastrar seu trabalho: icmc.usp.br/e/78ef0. Confira também as normas do SIICUSP: icmc.usp.br/e/cddcc.

A primeira etapa do Simpósio acontece em cada uma das unidades de ensino e pesquisa da USP, que estão espalhadas pelos diversos campi da Universidade. Quem estuda na USP deve apresentar seu trabalho na unidade em que seu orientador leciona, já os graduandos de outras instituições devem selecionar o campus e a unidade relacionadas a seus trabalhos.

No caso do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) essa primeira etapa será realizada no dia 20 de setembro. Nesse dia, ocorrerá uma mostra de projetos no hall da Biblioteca Achille Bassi do Instituto, na área I do campus da USP, em São Carlos. Além da mostra, haverá duas palestras e até quem não apresentar trabalhos pode comparecer ao evento, que é aberto a todos os interessados e não demanda inscrições prévias. Durante a mostra, uma comissão formada por professores da USP selecionará os melhores projetos, que serão apresentados nos dias 24 e 25 de outubro na etapa internacional do Simpósio, em São Paulo.

Promovido pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, o SIICUSP é um evento anual que tem como objetivo divulgar os resultados dos projetos de iniciação à pesquisa científica e tecnológica realizados por alunos de graduação da USP, bem como de outras instituições nacionais e internacionais. Visa também contribuir para o desenvolvimento de competências necessárias à pesquisa acadêmica, promovendo a oportunidade de interação entre pesquisadores de todos os níveis e áreas, bem como fomentando a colaboração e a pesquisa multidisciplinar na Universidade. 


Texto: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP


Mais informações
Inscrições: https://uspdigital.usp.br/siicusp/
Manual do sistema de inscrições: http://icmc.usp.br/e/78ef0
Página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/549754515413669/
Comissão de Pesquisa do ICMC: (16) 3373.8876 ou pesquisa@icmc.usp.br

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Confira os projetos do ICMC selecionados no programa que oferece bolsas para estudantes

Alunos de graduação da USP que se inscreveram no Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil têm até 15 de agosto para acessar o sistema JupiterWeb e escolher, no máximo, dois projetos em que gostariam de atuar

No ICMC, são oferecidas 98 bolsas nos 60 projetos aprovados

A USP disponibiliza este ano cinco mil bolsas, com duração de 12 meses, para os alunos de graduação que se inscreveram no Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil (PAPFE). Voltado a estudantes com necessidades socioeconômicas, o objetivo do programa é engajar os alunos em atividades de ensino, pesquisa ou extensão, de modo a contribuir para a formação acadêmica e profissional dos bolsistas. Os estudantes receberão, a partir do dia 1º de setembro, uma bolsa com valor mensal de R$ 400. 

Para concorrer a essa bolsa, os alunos devem acessar o sistema JupiterWeb até a próxima terça-feira, 15 de agosto, e escolher, no máximo, dois projetos em que gostariam de atuar. Em toda a USP, foram aprovados 2,4 mil projetos. Desse total, 60 são coordenados por professores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC). Dependendo do projeto, há oportunidade para mais de um bolsista. No caso do ICMC, são oferecidas 98 bolsas.

No campus da USP, em São Carlos, 530 estudantes de graduação se inscreveram no PAPFE, que conta com recursos da ordem de R$ 24 milhões. Esses alunos podem escolher atuar em projetos de qualquer uma das unidades de ensino e pesquisa da Universidade. Vale lembrar que todos esses projetos foram selecionados no último edital do Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação (PUB) pela Pró-Reitoria de Graduação da USP.

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

Mais informações
Lista de projetos do ICMC selecionados: www.icmc.usp.br/e/7620d
Informações sobre os programas: www.icmc.usp.br/e/5f6dd
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

Maratona Brasileira de Programação: faça parte dos times do ICMC

Alunos de graduação e de pós-graduação da USP em São Carlos podem se inscrever na prova seletiva do ICMC


Disputa pelo troféu da Maratona Brasileira de Programação está começando

Se você quer representar o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, na próxima Maratona Brasileira de Programação deve se inscrever até 18 de agosto no processo seletivo que ocorrerá no Instituto. A seleção será realizada dia 20 de agosto, domingo, a partir das 14 horas, quando os estudantes serão desafiados a resolver, individualmente, vários problemas de programação durante, no máximo, cinco horas.

Os 18 melhores colocados estarão classificados para formar equipes compostas por três alunos que irão representar o ICMC na etapa regional da Maratona, que acontece no dia 9 de setembro. Podem participar alunos de graduação e pós-graduação da USP, em São Carlos, independentemente do curso em que estejam matriculados. Também é preciso ter iniciado os estudos universitários em 2013 ou posteriormente, levando-se em conta a entrada no primeiro curso de graduação, ou ter nascido a partir de 1994 (confira os critérios neste link). Além disso, o estudante deve se cadastrar no portal Codeforces e se inscrever na seletiva por meio deste formulário eletrônico: icmc.usp.br/e/a57b8. A seleção do dia 20 será realizada no laboratório 6-303 do ICMC.

Além de todo o aprendizado que a participação em uma maratona de programação propicia aos estudantes, outra vantagem de se tornar um competidor é que a maioria das grandes empresas da área de tecnologia, como Google e Facebook, por exemplo, aplicam em seus processos de seleção questões muito similares às que aparecem nas maratonas. Dessa forma, participar das disputas passa a ser também uma vantagem competitiva no mercado de trabalho.

O melhor resultado já obtido pelo ICMC na competição foi alcançado em 2013, quando uma equipe do Instituto venceu a Maratona Brasileira de Programação, além de alcançar a 69º colocação na disputa mundial. A conquista é fruto de um trabalho que vem sendo realizado no Instituto desde 1996. Um dos marcos nessa trajetória foi a criação do Grupo de Estudos da Maratona de Programação (GEMA) em 2007, o qual realiza, durante todo o ano, treinamentos em laboratório e reuniões semanais. 

Campeões em 2013 (da esquerda para a direita): Luis, Bianca, Bruno e o técnico Filipe

Texto e fotos: Denise Casatti - Assessoria de Comunicação ICMC/USP


Mais informações
Site da Maratona de Programação: http://maratona.ime.usp.br/
Formulário para inscrições: icmc.usp.br/e/a57b8
Grupo de Estudos da Maratona de Programação (GEMA) no Facebook: https://www.facebook.com/groups/gemaicmc/

Feira de Recrutamento no ICMC reúne oportunidades na área de computação

Evento permite interação entre universitários e empresas de tecnologia

No ano passado, a Feira de Recrutamento contou com a participação de 16 empresas

Proporcionar uma forma de contato direto entre quem está na universidade e quem está no mercado de trabalho. Esse é o objetivo da Feira de Recrutamento que será realizada na próxima quarta-feira, 16 de agosto, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Gratuita e aberta ao público, a feira apresentará várias oportunidades profissionais aos estudantes e faz parte da Semana de Computação do Instituto (Semcomp 20), um dos principais eventos de computação do Brasil.

Este ano, a feira vai contar com 17 empresas, que vêm para o ICMC em busca de novos talentos e, inclusive, organizam processos seletivos para vagas de estágio. Para os alunos, é uma maneira eficiente de ter acesso a essas oportunidades e conhecer de perto o que vão fazer depois de formados. Já as empresas podem apresentar quais são os perfis ideais dos profissionais de computação que elas procuram, o que também permite que a universidade se mantenha atualizada em relação às mudanças do mercado.

A Feira de Recrutamento não demanda inscrições prévias e será realizada no ICMC das 9 às 20 horas, no hall da biblioteca Achille Bassi. Além desse evento, a Semcomp 20 possui outras atividades gratuitas e abertas ao público. Para se inscrever na Semana, acesse o site do evento.

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

Feira de Recrutamento
Quando: 16 de agosto, das 9 às 20 horas.
Onde: os estandes das empresas estarão no hall da biblioteca Achille Bassi, do ICMC, na área I do campus da USP, no centro de São Carlos (veja o mapa: icmc.usp.br/e/64715). Já as palestras das empresas acontecerão no auditório Fernão Stella de Rodrigues Germano (sala 6-001), também no ICMC.
Contatos: (16) 3373-9703 ou semcomp@icmc.usp.br

Mais informações
Site da Semcomp 20: https://semcomp.icmc.usp.br/20/
Confira o texto sobre as atividades que acontecerão no evento: www.icmc.usp.br/e/b4951

terça-feira, 8 de agosto de 2017

ICMC forma mais 45 profissionais nas áreas de computação, matemática e estatística

Cerimônia de colação de grau foi realizada na manhã da última sexta-feira, 4 de agosto

Na última sexta-feira, 4 de agosto, o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, realizou mais uma cerimônias de colação de grau. Familiares, amigos e convidados de 45 alunos de cinco cursos de graduação do Instituto lotaram o auditório Fernão Stella de Rodrigues Germano pela manhã para presenciar o instante em que, simbolicamente, esses estudantes tornaram-se profissionais.

Confira as imagens do evento no Flickr e no Facebook!

Aprimore suas apresentações em inglês com workshops oferecidos na USP

Atividades acontecerão no ICMC de 21 a 25 de agosto e são destinadas a pesquisadores que desejam melhorar suas habilidades para fazer apresentações orais acadêmicas em inglês

Especializada no ensino de inglês para falantes não-nativos,
Dorly Piske vai ministrar os workshops no ICMC

Pós-graduandos e demais pesquisadores que desejam aprimorar suas apresentações científicas em inglês podem se inscrever em um dos workshops que serão oferecidos pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Os workshops Academic Oral Presentations in English serão realizados de 21 a 25 de agosto e têm como objetivo melhorar a qualidade das apresentações orais em inglês dos participantes.

No curso, serão trabalhadas questões de vocabulário científico, compreensão, pronúncia, além de simulações de apresentação oral. A ministrante será Dorly Piske, graduada em ciência e tecnologia de alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina, com mestrado em ciência dos alimentos pela Kansas State University, nos Estados Unidos, além de mestrado em letras (espanhol e alemão) e pós-graduação em ensino de inglês como língua estrangeira pela University of Wyoming. Dorly tem experiência com ensino de inglês acadêmico nos Estados Unidos e no Cazaquistão.

Serão duas turmas com 25 alunos cada, divididos em dois períodos: pela manhã, das 10 às 12 horas; à tarde, das 14 às 16 horas. As aulas acontecerão na sala 3-010. As inscrições devem ser realizadas até 17 de agosto ou enquanto houver vagas, via sistema Apolo, nos seguintes links: icmc.usp.br/e/00062 (turma da manhã) ou icmc.usp.br/e/8b21c (turma da tarde). Em seguida, o interessado deve pagar o boleto no valor de R$ 20, que será enviado por e-mail, e enviar o comprovante para ccex@icmc.usp.br. Veja a programação completa neste link: icmc.usp.br/e/1e940.


Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação ICMC/USP

Workshop Academic Oral Presentations in English
Inscrições: até 17 de agosto ou enquanto houver vagas pelos links: icmc.usp.br/e/00062 (turma da manhã) ou icmc.usp.br/e/8b21c (turma da tarde).
Aulas: de 21 a 25 de agosto, pela manhã (das 10 às 12 horas) ou à tarde (das 14 às 16 horas).
Locais: sala 3-010 (exceto para a turma da manhã, no dia 23, quando a aula acontecerá no auditório Luiz Antonio Favaro e no dia 25, para a turma da tarde, quando a aula será na sala 3-011)
Endereço: avenida Trabalhador são-carlense, 400, no campus I da USP em São Carlos.
Vagas: 25 por turma.
Taxa de inscrição: R$ 20,00.
Mais informações: (16) 3373-9146 ou ccex@icmc.usp.br

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Jogos eletrônicos desenvolvidos por alunos da USP serão lançados durante semana de computação

Dois games gratuitos criados pelo grupo de desenvolvimento de jogos Fellowship of the Game serão apresentados ao público na Semcomp, evento que terá início na próxima sexta-feira, 11 de agosto, com a tradicional Game Jam, uma maratona de desenvolvimento de jogos



Dois jogos eletrônicos desenvolvidos por alunos do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, serão lançados durante a Semana de Computação (Semcomp 20), que acontece de 11 a 18 de agosto no Instituto. Gratuitos, os jogos foram criados pelo grupo de extensão Fellowship of the Game (FoG), que é focado no estudo e desenvolvimento de jogos eletrônicos.

A produção de conteúdo original é uma maneira de enriquecer a Semcomp, que já é vista como uma das maiores semanas de computação do Brasil, além de mostrar a força do ICMC na área de jogos, um campo que vem crescendo nos últimos anos. “Fazer jogos para a Semcomp gera um ambiente cultural muito gratificante, no qual nossos membros podem trabalhar em projetos inovadores e receber um feedback sólido de diferentes públicos”, conta Gabriel Simmel, presidente do FoG.

Aliás, os jogos já estarão presentes no início da Semcomp, quando ocorrerá a tradicional Game Jam, um desafio em que a meta é criar um jogo em apenas 48 horas. A maratona é aberta a todos os interessados ― programadores, artistas, músicos, roteiristas, designers e outros entusiastas ― e começa na próxima sexta-feira, 11 de agosto, às 17 horas, no auditório Luiz Antonio Favaro do ICMC. Para participar, basta se inscrever gratuitamente no site da Semcomp 20. “A participação do FoG na Semcomp é essencial para fortalecer nossa organização. Além disso, serve de janela para que a comunidade conheça os conteúdos gerados no ICMC”, diz Marcos Vinicius Junqueira, presidente da comissão organizadora da Semcomp 20. 

A tradição de ter jogos temáticos e exclusivos para eventos do ICMC surgiu em 2015, quando o FoG desenvolveu o puzzle (quebra-cabeças) musical ChronoChromatic. Em 2016, foi a vez do grupo criar o jogo PiCross para o Simpósio de Matemática para a Graduação (SiM). Neste ano, a parceria entre FoG e Semcomp foi intensificada com a produção dos dois jogos, que tem propostas e conceitos distintos e inovadores. 

Desafio tridimensional ― Um dos jogos desenvolvidos é o puzzle 3D Stack. Inspirado no clássico game Tetris, o objetivo é empilhar blocos montáveis e formar linhas de peças na mesma cor. “A ideia era criar um jogo que desafiasse a visão espacial e o raciocínio lógico do jogador ao invés de seus reflexos”, explica Rafael Gallo, game designer e programador do jogo. Por isso, Stack garante uma boa visão do tabuleiro: “assim, o jogador pode considerar muito bem suas opções e descobrir o melhor movimento a cada rodada”, afirma Rafael.

O jogo estará disponível para computadores a partir da abertura oficial da Semcomp, no dia 14, quando os participantes da semana irão competir pela melhor pontuação durante um dos concursos do evento. Entretanto, já é possível acessar a versão preliminar do jogo (beta) neste link: https://fellowship-of-the-game.itch.io/stack.

Visão espacial e raciocínio lógico é o que o jogador precisa para uma alta pontuação em Stack

Escalando para a vitória ― Com um estilo mais rápido, Crystal Rise é a outra produção original do FoG para a Semcomp 20. O objetivo é levar o jogador a acertar alguns dos múltiplos cubos que flutuam e se solidificam. Ao acertá-los, o jogador pode usar esses blocos sólidos como escada para subir o mais alto e rápido possível, antes que uma névoa cubra o personagem.

Segundo Arthur Souza, da equipe de programação, Crystal Rise foi pensado no estilo First Person Shooter (FPS), que é um jogo de tiro em primeira pessoa. “O gênero é conhecido por ter uma mecânica clássica, em que, normalmente, você deve mirar e atirar no seu oponente. Então, pensamos em fazer algo mais criativo e desafiador. Acredito que conseguimos realizar isso, mantendo a concorrência e diversão enquanto o jogador avança”, afirma Arthur. Crystal Rise será lançado na Gamenight da Semcomp, que começa às 23 horas do dia 17 de agosto, quinta-feira, e continua durante a madrugada. Depois do evento, o jogo também estará disponível gratuitamente para o público no site do FoG.

Protótipo do Crystal Rise, jogo de rapidez e precisão feito pelo FoG para a Semcomp

48 horas de produção ― Participar e realizar maratonas de desenvolvimento de jogos faz parte da rotina dos membros do FoG. Em julho, por exemplo, o grupo participou da Game Maker's Toolkit Jam. Durante o evento internacional, mais de 700 jogos foram produzidos em apenas 48 horas. Entre esses jogos está o Traveling Light, criado pelo FoG.

“É bem divertido fazer uma coisa tão diferente em pouco tempo. Você encontra muitos problemas e tem que ser rápido para resolver, trabalhando sempre com pessoas de outras áreas para seu jogo ser coerente”, explica Anayã Ferreira, membro do FoG e artista do game. Em Traveling Light, a ideia é mover uma esfera de luz pelo tabuleiro usando o conceito da dualidade. Para acessar esse jogo, que está disponível gratuitamente em versões para Windows, Android e navegadores de internet, clique neste link: https://anayagf.itch.io/traveling-light.

Em Traveling Light, o objetivo é evitar obstáculos com uma esfera de luz

Texto: Assessoria de Comunicação do ICMC
Com a contribuição de Gabriel Toschi, coordenador de relações públicas do FoG

Mais informações
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

PROFMAT: Mestrado profissional em matemática recebe inscrições até 15 de setembro

Voltado para professores de educação básica da rede pública, o programa semipresencial é gratuito e ainda oferece bolsas


Professores de matemática do ensino básico que pretendem aprimorar sua formação acadêmica podem se inscrever, até 15 de setembro, no Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT). O programa de pós-graduação é semipresencial, gratuito, e oferecido especialmente para profissionais de escolas públicas. O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos polos do programa e oferece 20 vagas para a turma de 2018. No ICMC, as aulas acontecerão às sextas-feiras, nos períodos da manhã e da tarde.

O processo seletivo é feito pelo exame nacional de acesso, que será realizado em 21 de outubro. A prova será composta por 30 questões de múltipla escolha, que terão como objetivo avaliar os conhecimentos numéricos, geométricos, de estatística e probabilidade, algébricos e algébricos/geométricos dos candidatos.

Os aprovados no mestrado que estejam ministrando aulas em escolas públicas também podem concorrer a uma bolsa de estudos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) durante dois anos. A bolsa está condicionada ao compromisso de permanência no ensino básico público de matemática por, pelo menos, cinco anos após a obtenção do título de mestre. Para mais informações sobre o processo seletivo e os documentos necessários para concorrer à bolsa, acesse o edital completo.

Sobre o PROFMAT - Coordenado pela Sociedade Brasileira de Matemática e reconhecido pela Capes com nota máxima (5), o PROFMAT é realizado por uma rede de instituições de ensino superior, oferecendo mais de 1,5 mil vagas em todo o país. Na USP, o programa é de responsabilidade do ICMC e conta com três polos: um em São Carlos, no próprio ICMC; um em São Paulo, na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH); e o terceiro em Ribeirão Preto, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP). 


Texto: Alexandre Wolf (Assessoria de Comunicação do ICMC)


Mais informações
Edital e inscrições: www.profmat-sbm.org.br
Serviço de Pós-Graduação do ICMC: (16) 3373.9638

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

ICMC recebe inscrições para pós-graduação em Matemática

Reconhecido com nota máxima pela CAPES, programa da USP em São Carlos oferece cursos de mestrado e doutorado


Estão abertas as inscrições para mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Matemática (PPG-Mat) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Para se inscrever no mestrado, os candidatos devem acessar o site do ICMC até 26 de setembro, enquanto no doutorado, o prazo é até 23 de outubro. Ambos terão início em março de 2018. O programa também oferece doutorado direto, em que as inscrições são em fluxo contínuo, ou seja, podem ser realizadas durante todo o ano.

Os alunos podem escolher entre três linhas de pesquisa: álgebra; análise; geometria e topologia. Avaliado pela CAPES com conceito máximo (7), o programa oferece 20 vagas para o mestrado e 20 para o doutorado. Os processos seletivos avaliam diversos critérios, como formação acadêmica, currículo e o desempenho no Programa de Verão ou Prova Extramuros.

Os candidatos ao mestrado podem participar do Programa de Verão do ICMC, que é um evento promovido pelo PPG-Mat durante os meses de janeiro e fevereiro, e envolve cursos e reuniões científicas entre diversos pesquisadores do Brasil e do exterior. Para se inscrever, é preciso se inscrever pelo site até 26 de setembro. O desempenho dos participantes nas disciplinas desse programa podem contar pontos importantes no processo seletivo do mestrado.

Já a Prova Extramuros vale tanto para o mestrado como para o doutorado. Organizada pelo ICMC e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, ela faz parte do processo seletivo de vários programas de pós-graduação em matemática no país. Neste ano, a prova será realizada em 7 de outubro. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até 26 de setembro pelo site. Os candidatos podem escolher onde fazer a prova, que é oferecida em vários lugares do país e do exterior.

Pós-graduação no ICMC – Criado em 1971, o ICMC é reconhecido como um dos principais centros de excelência nacional e internacional na formação de pesquisadores e profissionais nos campos da matemática, matemática aplicada, computação, estatística e de suas áreas relacionadas, por intermédio dos cursos de graduação, pós-graduação e extensão.

Os programas de pós-graduação estão entre os melhores do país, tendo formado um número expressivo de mestres e doutores que hoje ocupam posições em prestigiadas empresas e em unidades de ensino e pesquisa no Brasil e no exterior. Além do Programa de Pós-Graduação em Matemática, o ICMC oferece pós-graduação em Ciências de Computação e Matemática Computacional e, em parceria com a Universidade Federal de São Carlos, pós-graduação em Estatística. Há, ainda, dois mestrados profissionais: o Mestrado Profissional em Matemática, Estatística e Computação Aplicadas à Indústria (MECAI), oferecido pelo Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), e o Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (ProfMat), oferecido em parceria com a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). 

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação do ICMC
Foto: 
Rejane Celi Goy



Mais informações
Editais: www.icmc.usp.br/pos-graduacao/ppgmat/ingresso
Prova Extramuros: www.provaextramuros.org.br (inscrições até 7 de outubro )
Programa de Verão do ICMC: verao.icmc.usp.br (inscrições até 26 de setembro)

Contato
Serviço de Pós-graduação do ICMC: (16) 3373.9638
E-mail: ppgmat@icmc.usp.br

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Exposição destaca os artigos científicos mais citados do ICMC

Indicadores da Web of Science foram utilizados como critério para destacar o impacto internacional da produção científica do Instituto


Está em cartaz no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, a exposição Highly Cited Papers e Hot Papers: a produção científica do ICMC na Web of Science, que apresenta os artigos de autoria de pesquisadores do Instituto mais citados em suas áreas. A exposição é organizada pela Biblioteca Professor Achille Bassi, do ICMC, e ficará disponível até o dia 14 de agosto. 

Essa é a primeira edição da exposição, que será reapresentada a cada seis meses com novos artigos científicos que entrarem em uma das duas categorias: hot papers ou artigos interessantes, que são artigos publicados nos últimos dois anos e que estão entre os 0,1% mais citados de seu campo acadêmico; e highly cited papers ou artigos mais citados, que são artigos publicados nos últimos 10 anos e que estão entre os 1% mais citados de sua área.

A seleção dos artigos é feita pelo Essential Science Indicators, uma ferramenta que analisa indicadores científicos a partir da base de dados internacional Web of Science. “Nós fizemos a busca na base de dados e ficamos muito satisfeitos com o resultado. Nosso objetivo é mostrar que no ICMC existem trabalhos que são referência nas suas áreas. Aqui tem produção científica reconhecida internacionalmente”, afirma Regina Medeiros, uma das organizadoras. A exposição tem o apoio da Comissão de Biblioteca do ICMC e foi inspirada em uma iniciativa similar do Instituto de Física de São Carlos.

Texto e foto: Alexandre Wolf (Assessoria de Comunicação do ICMC)


Mais informações
Biblioteca Achille Bassi - (16) 3373.9634

Inscrições abertas para bolsas de monitoria no Departamento de Ciências de Computação


Estão abertas, até o dia 6 de agosto, as inscrições para as bolsas de monitoria no Departamento de Ciências de Computação (SCC) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Podem participar alunos de graduação e pós-graduação da USP que não possuam outras bolsas.

As monitorias começarão em 1º de setembro e terão duração de três meses, com bolsa de R$ 300,00 mensais. O aluno precisa ter cursado a disciplina que pretende dar monitoria ou equivalente, além de ter disponibilidade para acompanhar presencialmente as aulas. Os interessados devem preencher o formulário online disponível em icmc.usp.br/e/1dd65. Veja as disciplinas com vagas para monitoria abaixo:
  • SCC0201 - Introdução à Ciência da Computação II
  • SCC0202 - Algoritmos e Estruturas de Dados I
  • SCC0205 - Teoria da Computação e Linguagens Formais
  • SCC0211 - Laboratório de Algoritmos Avançados
  • SCC0220 - Laboratório de Introdução à Ciência da Computação II
  • SCC0268 - Seminários Avançados em Sistemas Hipermídia e Multimídia
  • SCC0563 - Técnicas de Programação para Web


Mais informações
Formulário de inscrição: icmc.usp.br/e/1dd65
Departamento de Ciências de Computação (SCC): (16) 3373-9671

segunda-feira, 31 de julho de 2017

ICMC oferece vagas em oficina de origami para professores de ensino básico

Atividade gratuita faz parte da programação do Simpósio de Matemática para a Graduação 


Professores da rede pública poderão participar gratuitamente de uma oficina de origami que será realizada na USP em São Carlos. A atividade será promovida pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) no dia 23 de agosto, das 14h às 17h, e está inserida na programação do 20º Simpósio de Matemática para a Graduação (SiM). O objetivo do evento é disseminar e despertar o interesse pela matemática.

Há 20 vagas disponíveis para o público geral, sendo que a prioridade na inscrição é para professores da rede pública de ensino. A atividade será ministrada pelo professor Lee Yun Sheng, da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Para se inscrever, é preciso preencher o formulário online disponível em icmc.usp.br/e/ccc74 até o dia 11 de agosto ou enquanto houver vagas. Os participantes precisam trazer lápis, borracha, apontador, régua e tesoura sem ponta.

Texto: Alexandre Wolf / Foto: Denise Casatti (Assessoria de Comunicação do ICMC)

Mais informações
Formulário de inscrição: icmc.usp.br/e/ccc74
Comissão de Cultura e Extensão: (16) 3373.9146
E-mail: ccex@icmc.usp.br

Inscrições abertas para a Semana de Computação do ICMC

Evento será realizado de 11 a 18 de agosto

Minicurso oferecido durante a 19ª Semcomp.
Estão abertas as inscrições para a 20ª Semana de Computação (Semcomp) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. O evento, que tem como objetivo complementar a formação profissional e acadêmica dos participantes, será realizado de 11 a 18 de agosto, e contará com uma programação bastante diversificada: palestras, minicursos, atividades culturais e feira de recrutamento.

Qualquer pessoa interessada em computação pode participar da Semcomp. A inscrição é gratuita e deve ser feita no site do evento até o dia 10 de agosto. Quem deseja participar dos minicursos precisa pagar uma taxa de R$ 35, que dá direito a fazer dois deles. O participante também pode adquirir o plano que dá acesso a todos os coffee-breaks do evento, por R$ 60.

Programação ampla - A 20ª Semcomp contará, ao todo, com 12 palestras, 22 minicursos e oito atividades culturais. O evento terá início na sexta-feira com a tradicional Game Jam, onde os participantes deverão se reunir em equipes para desenvolver um jogo em apenas 48 horas. Um dos destaques é a feira de recrutamento, que aproxima os estudantes de empresas da área, além do Acadêmica, que pretende despertar o interesse pela iniciação científica e pós-graduação nos alunos.

A Semcomp também contará com atividades culturais, que promovem a integração entre os participantes, como a Gamenight, uma madrugada inteira com jogos de diversos consoles, sarau, feira do livro e luau. Neste ano, haverá ainda o Semcomp Legacy, um desafio que vai levar os participantes em uma viagem pelas 19 edições anteriores do evento. Veja a programação completa clicando aqui.

Realização - A Semcomp é promovida anualmente por alunos do ICMC em parceria com os grupos PET Computação e Fellowship of the Game (FoG). O evento é uma atividade obrigatória para os alunos dos cursos de Ciências de Computação e Sistemas de Informação do ICMC, cujas aulas ficam suspensas durante sua realização. Os estudantes devem participar de pelo menos 70% das atividades gratuitas para obterem presença nas disciplinas.


Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação do ICMC

Mais informações
Site do evento - semcomp.icmc.usp.br/20/
Seção de Eventos do ICMC: (16) 3373-9622

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Trajetória de professor do ICMC é reconhecida pela Sociedade Brasileira de Computação

José Carlos Maldonado recebeu o prêmio de mérito científico da instituição

Maldonado: “Ainda há muito a se fazer no país” (foto: Reinaldo Mizutani)

De aluno de graduação a diretor, ele sempre teve sua história ligada ao Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Foi durante essa trajetória que José Carlos Maldonado desenvolveu grande parte de sua produção científica, reconhecida pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC).

No último dia 2 de julho, Maldonado recebeu o prêmio de Mérito Científico durante a abertura do congresso anual da SBC, realizado em São Paulo. A premiação é concedida uma vez por ano, a partir de indicações da comunidade avaliadas por uma comissão, aos membros da Sociedade que produziram contribuições científicas ou técnicas em computação.

O início dessa jornada deu-se em 1974, quando ele ingressou como aluno na USP, no curso de engenharia elétrica da Escola de Engenharia de São Carlos. Mas não demorou muito para que ele entrasse no mundo da computação. Junto com a engenharia, fez ênfase em computação eletrônica no ICMC, conquistando o diploma em 1978.

O caminho depois da graduação foi importante para definir o futuro da carreira do professor. Em 1979, conquistou uma vaga no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), onde foi assistente de pesquisa e, em 1982, concluiu seu mestrado. O projeto, intitulado Plataformas Experimentais de Rastreio Orientadas a Balões Estratosféricos, tratava sobre a implementação de um sistema de telemetria e telecomando em tempo real. "Era o início de uma relação duradoura com a área de teste de software", salienta. No ano seguinte, ainda como funcionário do INPE, Maldonado foi para o Canadá trabalhar com desenvolvimento de software para satélites, na SPAR Aerospace.

Retorno ao ICMC - Em 1984, Maldonado mudou-se para São Carlos por motivos familiares e tornou-se docente do ICMC. Iniciou seu doutorado na Unicamp e, durante o período, fez um estágio na Technical University of Denmark. “A política interna do ICMC sempre incentivou que os docentes fizessem doutorado, preferencialmente no exterior”. A linha de pesquisa de seu doutorado teve ligação com o período em que esteve no INPE. “O pensamento que norteou o trabalho tem a ver com enxergar softwares como produtos. Nós passamos a desenvolver teste de forma sistemática e rigorosa, baseado em critérios e ferramentas, produzindo evidências da qualidade do produto de software”.

Maldonado durante sua posse como diretor do ICMC, em 2010 (foto: Fukuhara)

Nessa mesma época, começaram a ser intensificados os eventos científicos nas mais diversas áreas da computação, também promovidos pela SBC. A participação de Maldonado nesses eventos foi importante para sua entrada nas primeiras redes de colaboração, que são projetos financiados por agências de fomento envolvendo a solução de problemas complexos, e por isso demandam a formação de equipes bem estruturadas. “Hoje, as redes de colaboração envolvendo a academia e a indústria são fundamentais para o desenvolvimento da ciência”, afirma.

A primeira rede de que Maldonado participou foi a do projeto Teste e Validação de Sistemas de Operação, patrocinado pela ONU, que visava estabelecer uma estratégia de teste e validação de software para o departamento responsável pelo desenvolvimento dos sistemas de operação para as empresas do sistema Telebrás. Em seguida, coordenou no Brasil o projeto Plataforma para Validação e Integração de Software em Sistemas Espaciais, que contou com pesquisadores brasileiros e franceses.

Durante uma edição do Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software, no Rio de Janeiro, Maldonado estabeleceu um contato que o levou a fazer pós-doutorado na Purdue University, nos Estados Unidos. A partir dessa experiência, integrou como coordenador brasileiro o projeto Software Quality Across Different Regions, que envolvia pesquisadores da Venezuela, Chile, Brasil, Itália, Dinamarca e Inglaterra. Retornando ao Brasil, contribuiu com a edição do livro Qualidade de Software: Teoria e Prática, a partir da rede de colaboração existente em torno do Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software, com envolvimento de pesquisadores da indústria.

Ampliando a rede - O QualiPSo (Quality Platform for Open Source Software) também foi coordenado no Brasil por Maldonado, e influenciou na criação do Centro de Competência em Software Livre da USP (CCSL-USP) e do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Software Livre (NAPSoL). “Tivemos resultados fantásticos na perspectiva de open source. Nós criamos um curso de teste de software que foi dado para a indústria e a academia, totalmente baseado em software livre. Nós já tivemos mais de 20 mil acessos nesse material”, afirma. A edição de um livro sobre essa experiência está em curso. Maldonado também coordenou, pelo lado brasileiro, o projeto READERS, uma parceria internacional que propiciou a criação da área de Engenharia de Software Experimental na América do Sul.

Maldonado e alguns dos pesquisadores da área de engenharia de software
que passaram pelo ICMC (foto: Reinaldo Mizutani)

Recentemente, coordenou o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC), rede que envolvia mais de 350 pesquisadores de 9 universidades, além de diversas indústrias. Essa iniciativa teve como objetivo encontrar soluções com veículos autônomos para aplicações estratégicas como agricultura, meio ambiente e defesa. 

Em um viés mais acadêmico, o pesquisador também coordenou um Projeto de Cooperação Acadêmica (Procad), da CAPES, envolvendo a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a PUC-RS, que visava promover a integração e capacitar recursos humanos de alto nível em engenharia de software. Atualmente, coordena outro Procad, envolvendo a UEM e a Universidade Federal de Alagoas, com o mesmo objetivo, além de abordar Recursos Educacionais Abertos.

Para Maldonado, as redes de colaboração sempre propiciaram motivação em um contexto muito rico, com tópicos inovadores e grandes desafios. “Em todos esses projetos, a amizade permeava as relações. Eles dão oportunidade de se inserir em mais redes e elas levam à formação pessoal. Por exemplo, em várias delas, meus alunos faziam contatos com grandes pesquisadores do Brasil e do exterior, e iam fazer pós-doutorado ou trabalhar em centros de pesquisa avançada”, diz. Ele chegou a formar mais de 50 alunos, entre mestres e doutores, com envolvimento em redes de colaboração. Maldonado, que é pesquisador 1A do CNPq, publicou mais de 300 artigos em periódicos e eventos científicos e produziu diversos livros e capítulos de livros, um deles contemplado com o prêmio Jabuti em 2008.

SBC e agências de fomento - Maldonado começou a se envolver com a SBC participando de eventos e apresentando trabalhos, mas não demorou para passar a organizá-los. Em 1997, recebeu um convite para fazer parte atuar diretor de educação. Nessa função, contribuiu para a consolidação dos currículos de referência em computação. Também atuou como vice-presidente de 2003 a 2007 e, de 2007 a 2011, foi presidente da instituição. Este ano, foi eleito para o conselho da Sociedade, cargo que ocupará até 2021.


Além disso, Maldonado foi coordenador de área em agências de fomento, como CAPES, CNPq e FAPESP. “São nesses lugares onde se formulam políticas de avaliação dos cursos e de fomento à ciência”, afirma. Sua atuação o levou a receber o título de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico em 2008.

Atualmente, como professor sênior do ICMC, Maldonado afirma que é uma honra ganhar o prêmio de Mérito Científico da SBC: “Receber esse prêmio me leva, primeiro, a um sentimento de agradecimento a todos os colaboradores, amigos e pesquisadores que trilharam comigo os diversos caminhos, e às agências de fomento nacionais e internacionais. Também causa uma retrospectiva. Ele me faz olhar para o passado, e é muito gratificante relembrar de tudo que passei. E me leva a outro sentimento, de que não posso parar e que ainda há muito a se fazer no país”.

Texto: Alexandre Wolf - Assessoria de Comunicação do ICMC


Mais informações
Assessoria de Comunicação: (16) 3373.9666

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Veja como foi o International Meeting in Commutative Algebra and its Related Areas



Pesquisadores de diversos países se reuniram na USP em São Carlos durante o International Meeting in Commutative Algebra and its Related Areas (IMCARA). O evento foi realizado pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) no período de 17 a 21 de julho, e homenageou o professor Aron Simis.

Confira a íntegra de algumas apresentações no Youtube.

Veja as fotos no Flickr e no Facebook!


Mais informações
Seção de Eventos do ICMC: (16) 3373.9622
E-mail: eventos@icmc.usp.br


terça-feira, 25 de julho de 2017

Matemática aplicada e estatística: veja quais aulas você pode assistir neste semestre

Departamento de Matemática Aplicada e Estatística do ICMC promove a iniciativa Aulas Abertas, que permite a qualquer interessado participar de aulas da graduação e da pós-graduação



Você tem curiosidade em descobrir como é uma aula dentro da USP em São Carlos? O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) tornou isso possível por meio do programa Aulas Abertas. A iniciativa do Departamento de Matemática Aplicada e Estatística (SME) permite que qualquer cidadão assista a algumas aulas ministradas por professores do ICMC aos estudantes de graduação e de pós-graduação. 

Podem participar da iniciativa estudantes do ensino médio, vestibulandos, alunos de outras universidades, docentes, pesquisadores, profissionais e toda a comunidade da região. As aulas tem duração de 50 minutos e contemplam diversos temas na área de ciências exatas. 

A participação é gratuita e não requer inscrição prévia. A relação de aulas abertas no segundo semestre de 2017 pode ser consultada neste link: www.icmc.usp.br/e/f3170. Como o programa é contínuo, novas aulas podem ser disponibilizadas e a agenda pode sofrer alterações. Para participar, basta comparecer nos locais, dias e horários indicados. 

Sobre o Aulas Abertas - O objetivo do programa é promover a aproximação do ICMC com a comunidade, possibilitando que os participantes sintam na pele como é a vida acadêmica na USP e como são as aulas de um curso regular, além de promover a interação com os alunos matriculados nesses cursos.

Segundo o professor Gustavo Buscaglia, chefe do SME, o conteúdo das aulas é adaptado para facilitar a interação dos participantes com os professores e estudantes. "Os professores farão uma descrição geral das disciplinas e das técnicas a serem aprendidas, ressaltando a importância dessas disciplinas no curso e na vida profissional", declarou o docente. 


Mais informações
Lista das disciplinas do Programa Aulas Abertas: www.icmc.usp.br/e/f3170
Departamento de Matemática Aplicada e Estatística do ICMC: (16) 3373-8121
E-mail: sme@icmc.usp.br


A matemática está em tudo: comece olhando para sua xícara de café

Se pudéssemos enxergar o mundo como os matemáticos fazem, veríamos que as equações diferenciais estão tão presentes no nosso dia a dia quanto o tique-taque dos relógios

Vindos de várias partes do mundo, pesquisadores da área de equações diferenciais reúnem-se anualmente no ICMC,
durante o tradicional Summer Meeting on Differential Equations (foto: Reinaldo Mizutani)

O café da manhã dos matemáticos pode ser bem mais complexo do que para os demais habitantes do planeta. Quando os matemáticos enchem suas xícaras de café e pegam o açúcar, eles reconhecem a mágica que acontece durante o tempo em que a colher gira para misturar aquelas substâncias. Mas que beleza oculta os matemáticos veem na transformação do líquido amargo em doce? 

Em primeiro lugar, eles sabem o quanto o caos é importante nesse processo e balançam a colher de forma desordenada. Se a mexessem em círculos, com movimentos periódicos, o açúcar se acumularia nas beiradas da xícara, onde o líquido se movimenta mais devagar. “O caos é usado em muitas aplicações práticas para fazer misturas de maneira a homogeneizar as substâncias”, conta o professor aposentado Hildebrando Rodrigues, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

Ele explica que, ao promover o caos com a colher, possibilitamos que as partículas de açúcar se afastem rapidamente umas das outras e se mesclem com o líquido. “Essa é uma característica muito importante do caos: fazer o que está próximo se distanciar rapidamente”, revela o professor. Para analisar o fenômeno matematicamente, precisamos transformar o café e o açúcar em coordenadas: imagine, então, que o café se torna um “x” e o açúcar um “y”. A compreensão dessa mistura de “x” e “y” só acontece se levarmos em conta os movimentos que acontecem com eles ao longo do tempo em que a colher promove o deslocamento dessas duas coordenadas. 

Bem-vindo ao sistema dinâmico da xícara de café! Observe o açúcar se misturando. Trata-se de um fenômeno em que há uma variação e você já consegue imaginar que esse microssistema funciona de forma similar a muitos outros. Olhe agora para o céu e veja os corpos celestes descrevendo suas órbitas: eles também se movem ao longo do tempo. E tudo que apresenta variação pode ser traduzido matematicamente por uma equação diferencial.

“No embrião do estudo das equações diferenciais está a obra de Galileu Galilei ao pesquisar o movimento dos astros”, conta Plácido Táboas, outro professor aposentado do ICMC. Ele lembra que no tempo de Galileu ainda não existia o termo “equações diferenciais” nem “cálculo diferencial”, mas faz uma ressalva: “você tem que olhar a obra do homem no seu tempo. E no tempo dele, Galileu foi genial”. 

Plácido: "Você tem que olhar a obra do homem no seu tempo" (foto: Denise Casatti)

Precursor da física experimental e teórica, Galileu deu os primeiros passos rumo à compreensão dos sistemas dinâmicos ao pesquisar a trajetória dos planetas. De lá para cá, muita coisa mudou. Hoje, a maioria dos modelos matemáticos utilizados na física, na engenharia, na química, na biologia e nos mercados financeiros envolve equações diferenciais. Elas são a base da dinâmica de Isaac Newton e estão presentes nas equações de Albert Einstein que descrevem a força da gravidade. Elas permeiam nosso cotidiano e são aplicadas a problemas tão diversos e fascinantes que vão muito além da mistura de café e açúcar. Foram as equações diferenciais que ajudaram a descobrir por que algumas pontes caem, quais obras de arte são falsas, a diagnosticar doenças, a acompanhar a evolução de um tumor cancerígeno e o crescimento de populações. 

Ao vislumbrar essas diferentes aplicações, você verá que não é preciso fazer contas nem resolver equações para entender que a matemática está presente em tudo. É claro que talvez poucos sejamos capazes de resolver equações diferenciais, mas com certeza todos podemos reconhecer sua importância ao compreender para que elas servem. Basta pensar em tudo o que existe na vida que varia com o tempo e você começará a enxergar equações diferenciais por toda a parte.

A imagem acima é um exemplo de uma equação diferencial.
Nesse caso específico, temos a chamada equação da superfície mínima,
que é a forma codificada que os matemáticos encontraram para
entender o comportamento surpreendente das películas de sabão.

Uma ponte que cai – A terceira maior ponte pênsil do mundo foi inaugurada em 1940 no estreito de Tacoma, em Washington, nos Estados Unidos. Logo, virou atração: as pessoas vinham de centenas de quilômetros em seus carros apreciar a curiosa emoção de dirigir sobre uma ponte que oscilava e havia ganhado o apelido de “galopante”. Poucos imaginavam que, quatro meses depois, o galope seria incontrolável a ponto de fazer a ponte de Tacoma Narrows despencar.

No livro “Equações diferenciais e suas aplicações”, o matemático Martin Braun conta os detalhes da tragédia, relatando que a única vida perdida na catástrofe foi a do cachorro de estimação de um repórter pouco cauteloso. Ele precisou abandonar o carro às pressas antes que a ponte desabasse e abandonou o animal. “A partir de aproximadamente 7 horas da manhã de 7 de novembro de 1940, a ponte começou a ondular persistentemente por três horas”, relata Braun. A ponte só se despedaçou por completo às 11h10 daquela manhã. Mas o que essa queda tem a ver com as equações diferenciais?

“Imagine uma criança no balanço. Digamos que ela é pesada e, aos poucos, você a empurra e a faz se movimentar. Se você empurra na hora certa, ela vai embalando. Isso é ressonância: a força que você está fazendo ao empurrá-la entra em sintonia com a oscilação que já estava acontecendo e, então, ela vai oscilando com uma amplitude cada vez maior. E você faz isso com pouco esforço”, revela o professor Plácido. Foi esse fenômeno da ressonância que aconteceu na ponte de Takoma: a frequência de vibração natural da ponte foi amplificada pelo vento que havia no local. “Quanto perigo este tipo de movimento apresenta depende de como a frequência natural da estrutura (lembremos que as pontes são feitas de aço, um material altamente elástico) está próxima da frequência da forma que empurra. Se as duas frequências são as mesmas, ocorre ressonância, e as oscilações se tornarão destruidoras se o sistema não tiver uma suficiente quantidade de amortecimento”, escreve Braun. O gráfico a seguir ilustra o fenômeno da ressonância, que também pode ser traduzido por meio de uma equação diferencial.



No livro, Braun relata que o mesmo fenômeno foi responsável pela queda da ponte suspensa de Broughton, perto de Manchester, na Inglaterra, em 1831. Mas em vez do vento, o responsável pelo desastre foram os soldados. Ao marcharem de forma cadenciada sobre a ponte, eles produziram uma força periódica de amplitude bastante grande, tal como o vento fez com a ponte de Takoma. A frequência da força dos soldados foi igual à frequência natural da ponte e as oscilações foram aumentando até que a ponte ruiu: “É por essa razão que se ordena aos soldados para quebrarem a cadência quando atravessam uma ponte”.

Quando fala o coração – A marcha dos soldados pode ser comparada ao ritmo do nosso coração. Mas se a cadência desse órgão vital for quebrada, teremos um sério problema: arritmias cardíacas. Em um artigo publicado pelo professor Hildebrando em parceria com a professora Isabel Laboriau, da Universidade do Porto, em Portugal, eles usaram as equações diferenciais para modelar a atividade elétrica em sistemas biológicos. A grande contribuição da matemática para essa área é atuar na busca pela sincronização desses sistemas quando eles entram em caos. Porque se o caos é muito bem-vindo na xícara de café, ele é um desastre quando interfere em batimentos cardíacos, impulsos nervosos, fibras musculares e células pancreáticas.

“As células do coração têm que pulsar de forma sincronizada tal como as linhas de transmissão de energia. Se acontecer uma falha em uma linha por causa de um raio, por exemplo, todo o sistema pode cair. E o caos pode se propagar caso aquela linha com problema não seja desligada”, explica Hildebrando. “No Brasil, temos mais de 600 hidrelétricas e cada uma tem seu próprio modelo matemático. Elas são interligadas pelas linhas de transmissão e todas têm que trabalhar sincronizadamente”, acrescenta o professor.

Hildebrando ressalta ainda que, a partir de um trabalho de colaboração com pesquisadores da área de engenharia elétrica, foram aprimorados os modelos empregados nessa área no Brasil. “Posso afirmar que os resultados mais bem-sucedidos para encontrar a estabilidade nesses sistemas de potência são do nosso grupo de pesquisa e podem ser utilizados em outras áreas do conhecimento”. O professor é um dos principais expoentes da área de equações diferenciais no Brasil. Ele contribuiu para o desenvolvimento e a consolidação desse campo de pesquisa no país. Em 2013, ao completar 70 anos, ele foi homenageado durante o Summer Meeting on Differential Equations, um dos mais importantes eventos do mundo na área de equações diferenciais. Realizado anualmente pelo ICMC desde 1996, o evento é promovido pelo grupo de Sistemas Dinâmicos Não Lineares do ICMC e conta com o apoio das principais agências de fomento à pesquisa do país.

Hildebrando foi homenageado em 2013, durante o
Summer Meeting on Diffrential Equations (foto: divulgação)
“Em muitos casos, nós estudamos as equações diferenciais como objetos matemáticos. A razão é que nós nunca sabemos quando vamos precisar delas. Mas é necessário ter essa caixa de ferramentas, que é uma completa compreensão da teoria, exatamente por não sabermos quando vamos necessitar dela em uma aplicação”, destaca o professor John Mallet-Paret, da Brown University, nos Estados Unidos. Enquanto toma um café em um dos intervalos da última edição do Summer Meeting on Differential Equations, realizado de 6 a 8 de fevereiro no ICMC, John dá inúmeros exemplos das aplicações das equações diferenciais: na física, são elas que ajudam a compreender o comportamentos dos fluidos e possibilitam, por exemplo, construir um avião mais eficiente ou fazer previsões do tempo; na biologia, é essa ferramenta que se usa para entender como as bactérias e os vírus se propagam, assim como para verificar se novas terapias são, de fato, melhores do que as antes empregadas. 

Por isso, são muitos os desafios que instigam os pesquisadores dessa área. “Um dos campos de maior interesse está relacionado à interação entre sistemas determinísticos e sistemas randômicos. Tradicionalmente, na área de equações diferencias, nós tentamos prever exatamente o que vai acontecer no futuro (sistema determinístico). Mas, no mundo real, as coisas não são assim, pois sempre há alterações imprevisíveis (sistema randômico). Entender como essas mudanças interferem nos resultados das equações diferenciais é um grande desafio atualmente”, ressalta John. 

Uma das transformações que vem gerando impacto na área está ligada ao desenvolvimento tecnológico. “Ser capaz de resolver equações diferenciais no computador de forma acurada não era possível 20 anos atrás”, diz John. Para ele, com o aumento da capacidade dos computadores, abre-se um vasto leque para o desenvolvimento de novas aplicações de alta relevância empregando as equações diferenciais. 

Para aqueles que pensavam que tudo já estava resolvido quando o papo era matemática, vale dizer que, por estar presente em tudo, a matemática é tão infinita quanto a capacidade humana de criar. Como escreve o matemático Edward Frenkel no livro Amor e matemática: o coração da realidade escondida: “Eis como é em matemática: cada novo resultado remove o véu que cobre o desconhecido, mas o que então se torna conhecido não contém simplesmente respostas – inclui perguntas que não sabíamos formular, direções que não sabíamos que podíamos explorar. E, assim, cada descoberta nos inspira a dar novos passos e nunca nos deixa satisfeitos em nossa busca por conhecimento”.

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP


Mais informações
Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: comunica@icmc.usp.br